Acre terá um dos cinco postos modelo aduano do Brasil

Uma equipe da Coordenação Nacional de Administração Aduaneira esteve no Acre para conhecer a realidade local (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Uma equipe da Coordenação Nacional de Administração Aduaneira esteve no Acre para conhecer a realidade local (Foto: video/captura)

Por Tatiana Campos – Agência Acre

Vídeo: oaltoacre.com

O Acre foi escolhido para ser beneficiado com uma das cinco aduanas modelo que serão construídas pela Receita Federal em parceria com o governo do Estado. Uma equipe da Coordenação Nacional de Administração Aduaneira (Coana) esteve aqui para conhecer a realidade local e avaliar o melhor município de fronteira para receber a unidade modelo.

Elizabete de Jesus Maria, representante da Coana (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Elizabete de Jesus Maria, representante da Coana (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Os projetos, segundo Elizabete de Jesus Maria, representante da Coana, começam a ser elaborados este ano. Ela explica que a aduana modelo será construída em outro terreno, em local que deixe livre o acesso à cidade e provavelmente o município contemplado será Assis Brasil. “A ideia é dar melhores condições de trabalho aos servidores, mais segurança e conforto, atendo melhor ao público. Teremos um efetivo controle aduaneiro, com todas as tecnologias disponíveis. Queremos proporcionar agilidade no comércio exterior, menor tempo de espera, além de uma boa relação com os países vizinhos. Queremos que fique bom para quem trabalha e que usa o serviço”, explica Elizabete.

Segundo a Coana, o diferencial de uma aduana modelo é a mega estrutura que traz, construindo inclusive residências funcionais para os servidores. A ideia é ter uma parte administrativa, módulos de bagagem, dispositivo de mercadorias e outras áreas que integram a aduana modelo.

A delegada da Receita Federal no Acre, Tatiana Vieira, disse que a vinda do Coana foi importante para que conhecessem a realidade local e escolhessem o Acre para uma das cinco aduanas modelos que serão construídas no país. “Eles perceberam que as estruturas que temos não são suficientes para o crescimento do estado. Vamos atender melhor os despachantes empresariais, com um fluxo mais rápido no comércio exterior e esta era uma demanda antiga”, comenta.

Uma aduana melhor estruturada é fundamental para o estado com o cenário de crescimento industrial e desenvolvimento econômico, com  potencial turístico em expansão. Este é o retrato que o Acre vive hoje. A Zona de Processamento de Exportação, a saída para o Pacífico e investimentos como o complexo de piscicultura e a unidade de suínos são realidades que vão impulsionar o desenvolvimento do estado e demandam uma estrutura aduaneira maior.

Comentários