Acriana conquista medalha de ouro nos Jogos Mundiais de Policiais e Bombeiros

 Leilane aproveitou a estadia na Irlanda para desfilar com a bandeira do Acre - Foto: Divulgação

Leilane aproveitou a estadia na Irlanda para desfilar com a bandeira do Acre – Foto: Divulgação

Uma acriana chegou ao degrau mais alto do pódio nos Jogos Mundiais de Polícias e Bombeiros (World Police & Fire Games), que neste ano foram realizados em Belfast, Irlanda do Norte. Ela é Leilane Ribeiro de Oliveira, natural de Cruzeiro de Sul, que conquistou a medalha de ouro na prova dos 400m rasos, representando a Polícia Federal brasileira.

“É até difícil de acreditar”, revelou a atleta ao chegar ao Brasil, ainda incrédula com o resultado. “Essa foi minha primeira competição internacional. Conquistar um ouro logo de cara parece um sonho!”.

Leilane foi a primeira acriana a disputar os Jogos Mundiais de Polícias e Bombeiros, que são hoje a terceira maior competição multiesportiva do mundo. Orgulhosa do feito, ela fez questão de compartilhar suas raízes com atletas do mundo todo, desfilando com a bandeira do Acre pelos locais de competição.

Junto à medalha dourada – sua mais nova amiga inseparável –, a atleta trouxe na bagagem muita experiência e histórias para compartilhar. “É ótimo poder conhecer locais e conversar com colegas de todos os cantos do mundo”, reflete. O lado ruim, segundo ela, foi constatar que o Brasil ainda está muito atrás de outros países no tratamento dispensado aos profissionais de segurança pública. “Nessa troca de experiências, ficou claro o quanto o nosso país precisa avançar neste ponto”, desabafa. “Espero que nossos governantes voltem os olhos para a segurança pública”.

A próxima edição do evento acontece em 2015, em Fairfax, nos Estados Unidos. Leilane já faz planos para comparecer. “Seja como competidora, seja como representante, pretendo estar lá com as bandeiras do Acre e do Brasil”, confirma a mais nova campeã das pistas de atletismo.

Resultados do Brasil – Representado por uma delegação com cerca de 200 atletas – integrantes das polícias Federal, Civis e Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares –, o Brasil terminou a competição em 11º lugar, com 104 medalhas (31 ouros, 44 pratas e 29 bronzes).

Comentários