Aldeias receberão kit de combate à desnutrição de crianças indígenas

Uma caixa contendo vitaminas e sais minerais. Este pode ser o começo de uma nova expectativa de vida para crianças que vivem em aldeias do Acre e são vítimas da desnutrição infantil.

Uma caixa contendo vitaminas e sais minerais pode ser o começo de uma nova expectativa de vida para crianças que vivem em aldeias do Acre (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Uma caixa contendo vitaminas e sais minerais pode ser o começo de uma nova expectativa de vida para crianças que vivem em aldeias do Acre (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O protótipo do Kit de Combate à Desnutrição Indígena foi apresentado na noite de segunda-feira, 4, ao governador Tião Viana durante reunião com o diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Acre (Fapac), professor Pascoal Muniz; o assessor indígena Zezinho Kaxinawá, o secretário de Meio Ambiente Edgard de Deus e o diretor-presidente do Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), Eufran Amaral.

O protótipo do Kit de Combate à Desnutrição Indígena foi apresentado na noite de segunda-feira, 4, ao governador Tião Viana (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

“São 17 vitaminas e sais minerais, incluindo o sulfato ferroso. Com isso, a gente recupera as crianças indígenas da anemia, que é quase universal”, detalha o diretor da Fapac.

O governador Tião Viana disse que era com muita alegria que recebia a notícia da distribuição desse kit. “Isso me emociona muito, principalmente por saber que vai mudar a vida dessas crianças”, declarou Tião.

Pascoal Muniz explica que também será agregado um kit de alimentação que terá leite, farinha e outros produtos básicos para as crianças. “Isso vai ajudar a recuperar da destruição e combater a mortalidade infantil. Essa tem sido uma grande preocupação do governador Tião Viana”, disse.

Zezinho Kaxinawá observa que o programa de combate à desnutrição será de extrema importância para todas as aldeias que serão beneficiadas com o kit. “Esse conjunto de ações o governo vai promover entrando com o multivitamínico, o diálogo de fortalecimento e apoio à rodução rural nas terras indígenas com sistema agroflorestais, criação de pequenos animais e fortalecimento dos roçados. Tudo isso é para diminuir a mortalidade infantil”, acrescentou Zezinho Kaxinawá.

O assessor indígena frisa que essa é uma ação para evitar que ocorram casos como o registrado em 2012 na aldeia indígena do Alto Purus, quando 12 crianças morreram vítimas da desnutrição.

Comentários