Astério Moreira defende audiência pública para discutir revalidação de diplomas de médicos graduados na Bolívia

asterio061212O deputado Astério Moreira (PEN) defendeu durante o pequeno expediente da Aleac, nesta quinta-feira, 21, uma audiência pública para se discutir a validação dos diplomas médicos expedidos por instituições de ensino no exterior.

Em seu pronunciamento ele explica que, as provas aplicadas no Brasil para a revalidação dos certificados abrangem um grau de instrução muito além daquilo que deveria ser. Na opinião dele, é uma tentativa de frear a entrada destes profissionais no mercado de trabalho.

“É lamentável que as provas de revalidação sejam um absurdo. É para especialistas. São feitas para não passar mesmo. A Universidade Federal do Acre é uma instituição que está muito além do nosso Estado. Há uma resistência para o reconhecimento desses profissionais que poderiam auxiliar a nossa saúde aqui”, ressaltou o líder do governo na Aleac.

O deputado Eber Machado (PSDC) sugeriu, quanto ao assunto discutido por Astério Moreira (PEN), que o estado brasileiro repense sua forma de ingresso nas universidades federais, principalmente na Amazônia. Para ele, não é admissível que estudantes de outras regiões do país façam do Acre apenas uma porta de entrada ao nível superior.

Lembrou, ainda, que o Estado precisa avançar na política educacional com a criação de uma universidade pública estadual que poderia ter cotas de ingresso para estudantes do interior, principalmente na área de medicina.

“Eu diria que 90% dos alunos são de fora do Estado. Filhos de papai, filhos de bacana que ficam aqui poucos meses e conseguem a transferência e vão embora. Eu sugiro a criação de uma universidade estadual. Estamos trabalhando neste projeto. Porque aí teríamos os nossos próprios critérios”, frisou o parlamentar questionando a forma de ingresso na Ufac.

Comentários