Bittar e Petecão se declaram candidatos ao governo do Acre em 2014

“Iremos respeitar a autonomia dos partidos”, diz presidente do Conselho Superior da Oposição.

Reunião teve como finalidade traçar a agenda de atividades do Conselho Superior da Oposição para o próximo mês/Foto: Agência ContilNet
Reunião teve como finalidade traçar a agenda de atividades do Conselho Superior da Oposição para o próximo mês/Foto: Agência ContilNet

Da redação, com Gina Menezes –  Agência ContilNet

Em uma reunião realizada na manhã desta sexta-feira (26), na sede estadual do PMDB, cuja finalidade era traçar a agenda de atividades do Conselho Superior da Oposição para o próximo mês, o senador Sérgio Petecão (PSD) e o deputado federal Márcio Bittar (PSDB) deram declarações idênticas à imprensa e colocaram fim às especulações de um fácil entendimento da oposição na construção de uma candidatura única.

Ambos se declararam candidatos ao governo do Estado, embora os partidos que compõem a oposição ainda estejam defendendo a tese da candidatura única.

Petecão e Márcio Bittar representam as duas correntes ideológicas que permeiam o Conselho Superior da Oposição, liderado pelo peemedebista Aldemir Lopes.

Petecão é firme na defesa de múltiplas candidaturas, afirmando crer que esta é a melhor estratégia para enfrentar o governador Tião Viana (PT) em 2014.

“Chapa única seria suicídio político”, diz.

Bittar, por sua vez, continua firme na tese de que o melhor que pode acontecer é uma candidatura única como forma de unir forças para um embate nas urnas com o governador petista.

“Continuaremos no processo de convencimento de que a melhor estratégia é uma chapa única no que tange o majoritário”, declara.

O presidente do Conselho Superior da Oposição, órgão criado para conduzir o processo de escolha dos nomes que disputarão a eleição, Aldemir Lopes (PMDB), diz que permanece a defesa da construção de candidatura única, mas que irão respeitar a autonomia dos partidos.

“Defendemos a tese da união da oposição e da candidatura única, mas se tiver mais de um candidato, iremos entender. Os partidos são soberanos”, declarou.

Comentários