BNDES faz vistoria de obras do Ruas do Povo no interior do estado

ruas do povo
Foto: Arquivo/oaltoacre

Uma equipe do Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável (BNDES) esteve no Acre para fazer uma vistoria técnica e monitoramento de obras financiadas pela instituição. Durante três dias, os técnicos estiveram em Sena Madureira, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá, Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul.

Foram inspecionadas obras de reforma das Unidades de Defesa Agropecuária, cujas intervenções realizadas possibilitaram aos servidores e usuários um ambiente de trabalho seguro e salubre para prestação de serviço com melhor qualidade.

Obras do programa Ruas do Povo, que prevê pavimentação com rede de água e drenagem de vias urbanas, também passaram pela fiscalização, assim como as instalações do futuro Núcleo Tecnológico de Alevinagem e Frigorífico de peixes do Vale do Juruá. Instalado, terá capacidade de produzir de três a quatro milhões de alevinos por ano e o processamento de sete toneladas de peixe ao dia.

Segundo o técnico do BNDES, Saturnino de Souza Filho, essa foi uma vistoria de rotina, que deve ser realizada pelo menos uma vez por ano, e que no Acre, estava prevista para abril, mas que só foi possível agora. “Nós realizamos uma reunião de encerramento com a equipe da Secretaria de Planejamento do Estado e secretarias envolvidas na execução dos projetos que foram visitados. No caso que tenha algum ajuste, alguma recomendação para ser feita, a gente faz a recomendação, pactua aí um determinado tempo para que seja atendido, e sendo atendido que seja reportado para o banco por intermédio da SEPLAN, o que foi feito, inclusive com relatório fotográfico e demais documentações”, explica.

O programa Ruas do Povo foi alvo da Operação G7, realizada pela Polícia Federal no Acre. A investigação revelou fraude no programa e resultou da prisão de membros do governo do Estado e de empresários da construção civil, acusados de rimes de cartel, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, formação de quadrilha e desvio de recursos públicos.

Com informações da Agência de Notícias do Acre www.agencia.ac.gov.br

Comentários