Cerca de 10 dragas bolivianas podem estar levando perigo à Brasiléia

Locais onde estão fixadas estão levando erosão aos barranco no lado brasileiro

Alexandre Lima

Aproximadamente 10 dragas bolivianas estão retirando areia do Rio Acre, na fronteira com Brasiléia - Fotos: Alexandre Lima
Aproximadamente 10 dragas bolivianas estão retirando areia do Rio Acre, na fronteira com Brasiléia – Fotos: Alexandre Lima

Não se sabe as normas impostas pelas autoridades bolivianas, para que licenças sejam liberadas para a extração de areia do leito do Rio Acre na cidade de Cobija, capital de Pando, lado boliviano que faz divisa com o Brasil através do Acre.

Cenas que vem chamando atenção dos moradores da cidade de Brasiléia, é o crescimento das mesmas num período de um ano. São cerca de 10 dragas que praticamente trabalham dia e noite retirando areia de janeiro a dezembro.

Não precisa ser ‘expert’ no assunto, para perceber o crescimento da erosão nos barrancos no lado brasileiro é devido a retirada da areia no fundo do rio no lado boliviano. Concidentemente, aonde existe uma draga, o assoreamento é visível.

Para que uma empresa possa trabalhar no lado brasileiro retirando areia, é necessário um estudo ambiental rigoroso até conseguir a licença. Algumas autoridades já estão procurando formas de comunicar o governador de Pando.

As dragas podem ser vistas trabalhando a menos de 100 metro uma da outra,  num trecho do Rio Acre, a partir dos Bairros Samaúma, Leonardo Barbosa, até próximo as pontes que ligam os dois países.

Comentários