Cerca de 600 haitianos estão vivendo em situação precária numa casa de 3 quartos

Alexandre Lima, da Redação

Imigrantes tentam todos os dias, retirar documentos para poder trabalhar no Brasil - Fotos: Almir Andrade
Imigrantes tentam todos os dias, retirar documentos para poder trabalhar no Brasil – Fotos: Almir Andrade

Hoje são aproximadamente 580 haitianos que estão buscando junto a Receita Federal, a emissão do CPF. Empresas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina já demonstraram interesse em contratar os imigrantes.

Mas para isso, o Ministério do Trabalho exige que possuam o Cadastro de Pessoa Física (CPF). Devido a este fato, filas são formadas todos os dias na sub-sede da Receita Federal em Brasiléia, no Acre. O principal alvo em busca de trabalho são a região Sul e Sudeste do Brasil.

Centenas de haitianos chegam todos os meses nos municípios de Brasiléia e Epitaciolândia após o terremoto que quase dizimou o país em 2010. Em 2011, quase 1500 entre homens, mulheres e crianças entraram pela fronteira do Acre, vindos pelo Equador, Peru, Bolívia, sem falar dos que foram pelo Amazonas e o número já pode estar próximo a cinco mil imigrantes.

As condições de moradia são precários, todos os haitianos que chegam estão se amontoando numa casa de três quartos, localizada no Bairro Ferreira da Silva, no município de Brasiléia. Longe da família e dos amigos, os imigrantes convivem com a saudade e a esperança de um futuro melhor em terras brasileiras.

Fonte: noticiasdafronteira.com.br

Comentários