Chapa opositora se defende de acusações sobre eleição à AMOPREBE

Da redação

A chapa opositora à candidata Leila Ferreira (Chapa 01), que nesta terça-feira, dia 10, entrou com pedido de adiamento da eleição para a nova diretoria da Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Brasiléia e Epitaciolândia – AMOPREBE, que deveria acontecer nesta quarta-feira, dia 11, se defendeu das acusações.

A candidata teria argumentado que os seus direitos teriam sido tirados a concorrer e que algumas normas não teriam sido seguidas pela Mesa Diretora, deixando a entender que algo poderia estar errado.

Foi quando pediram a suspensão temporária junto a Comarca de Brasiléia, que foi aceito pelo Juiz Clovis Lodi, dando um prazo de 30 dias para que documentos fossem apresentados e uma nova eleição venha acontecer.

Por e-mail, a Chapa opositora se defende mostrando que algumas das normas não foi respeitada, o que motivou a retirada da Chapa 1 do pleito.

Veja abaixo.


Lamentável a manobra política feita pela candidata Leila Ferreira filiada ao PT de Brasileia, no processo eleitoral da AMOPREB – ASSSOCIACAO DOS MORADORES DA RESERVA EXTRATIVISTA CHICO MENDES.

A eleição deveria ocorrer dia 11 de Outubro do corrente. O processo foi suspenso pelo Sr. Juiz Cloves Lodi da comarca de Brasileia, sobre as alegações infundadas apresentadas pela já citada candidata. Segundo o despacho da autoridade judiciária, o cancelamento se deu por motivos, que, segundo a candidata, a comissão eleitoral não cumpriu o prazo de defesa alegado. No entanto, segundo o presidente da comissão, o Sr. Celso Custodio, as regras estatutárias foram cumpridas, o que realmente aconteceu foi a impugnação da candidata que não preenchia os requisitos:

1- Ser filiada a mais de um ano na entidade;

2- Comprovar a atividade agroextrativista na reserva, pelo menos dois anos.

O qual não foi atendido, pois a mesma exercia um cargo em comissão na gestão da Prefeita Fernanda Hassem, que a nomeou conforme pesquisa do DO/Acre abaixo:

Salienta-se que a candidata foi exonerada do Cargo de Coordenadora de Imagens e Registros da gestão petista no dia 31 de maio deste ano e publicado no DO/Ac, com o intuito de ser a candidata do PT na referida eleição.

Pelo exposto, fica claro mais um golpe político por parte do PT contra as mais de 3 mil famílias moradoras da RESEVA CHICO MENDES. Pois, prevendo a perca do espaço político eleitoral, pela falta de políticas publicas para as famílias da reserva, é que a tramóia política  petista ocorreu. Pois a reserva é historicamente estratégica para garantir a eleição do governo do PT na região.

Este golpe contra a democracia e aos moradores veio prejudicar a organização dos trabalhadores que anseiam por mudanças, por melhor qualidade de vida, por autonomia, bem como pelo  fim do monopólio na comercialização dos produtos extrativistas pelo governo. Esse cenário, aprofunda a pobreza em um contexto de riquezas naturais, onde a tão sonhada sustentabilidade ficou apenas no discurso do mundo petista que se aproveita da fragilidade desta população para se perpetuarem no puder. Tais manobras contrariam toda a historia de luta do líder Chico Mendes. O odor da hipocrisia é sentido no Alto Acre.

Matéria relacionada:

Eleição para nova diretoria da Amoprebe é adiada por 30 dias pela Comarca de Brasiléia

Comentários