Corpo de presidiário brasileiro morto em presídio na Bolívia é transportado para Rio Branco

O corpo do presidiário brasileiro, Alexsandro Bezerra Montenegro, o Leke, 38 anos, morto de forma bárbara durante rebelião no presídio de Vila Busch, em Pando, na Bolívia, foi transportado para Rio Branco na tarde desta quinta-feira, 14, por familiares da vítima.

Antes de se deslocar para Rio Branco, ainda em Brasileia, o tio de Alexsandro, Selmir Garcia, narrou por telefone ao ac24horas as dificuldades que teve para conseguir a liberação do corpo, do país vizinho, para o Brasil.

Para conseguir a liberação, a família teve que desembolsar mais de US$ 1 mil, entre serviços de funerária, transporte, documentação da Bolívia e liberação junto ao consulado brasileiro. “Até o consulado brasileiro, que deveria resolver eu pensei que seria fácil, mas tive que pagar US$ 25 (dólares)”.

Mas por incrível que pareça foi mais difícil conseguir apoio entre as instituições de fiscalização do Brasil que da Bolívia. “A gente foi na Polícia Federal disseram que não era com ela. Fomos na Polícia Civil também não era com ela. Na Anvisa não tinha expediente, e no consulado eles nos passaram para o pessoal da Bolívia. E eles também não sabiam passar informações. Até que a gente foi na funerária na Bolívia e conseguimos”, diz Selmir.

O corpo de Alexsandro será velado no bairro Raimundo Melo, em Rio Branco.

Alexsandro Montenegro foi morto a pauladas e terçadas durante briga generalizada entre presidiários bolivianos e brasileiros.

Nesta quinta-feira, 14, a Assembleia Legislativa do Acre se posicionou sobre o caso e deve levá-lo ao conhecimento do Itamaraty, em Brasília.

Fonte: ac24horas

Comentários