Criança morre em Assis Brasil por falta de atendimento médico

O prefeito Humberto Filho, o Doutor Betinho, disse que esta não é a primeira vez que uma pessoa morre no município por falta de atendimento médico.

Da Redação, com Agência ContilNet

A morte de um bebê de apenas um anos e três meses de idade revoltou os moradores do município de Assis Brasil, localizado há 345 quilômetros da capital acreana.

A pequena Geovana foi levada às pressas, pelos pais, à Unidade de Saúde do município, mas não foi atendida porque o único médico que atende no local estava viajando para Basileia, acompanhando outro paciente.

Iranilso Santos de Lima, pai da menina, e sua esposa, Luciane Santos da Silva, 26, estão inconformados com a morte prematura da filha, e prometem acionar o Ministério Público Estadual. “Só DEus sabe a dor que estamos sentindo. Não podemos nos conformar com esse caos na saúde pública do nosso município”, disse Iranilson.

Família está inconformada com a morte prematura da pequena Geovana/Foto: Agência ContilNet
Família está inconformada com a morte prematura da pequena Geovana/Foto: Agência ContilNet

Prefeito alerta autoridades

O prefeito Humberto Filho, o Doutor Betinho, disse que esta não é a primeira vez que uma pessoa morre no município por falta de atendimento médico ou de equipamento para ajudar a diagnosticar doenças.

“O governo estadual precisa instalar um raio-x, construir um centro cirúrgico e contratar mais médicos para atender a população. Esta não é a primeira vez que uma pessoa morre por falta de atendimento médico. Antes de me eleger eu já havia feito várias denúncias”, lembra o prefeito.

Para o prefeito, nada justifica a morte de uma criança ou de qualquer outra pessoa por falta de médicos. “Estou muito triste com o ocorrido. A prefeitura tem tentado ajudar, até contratamos uma médica para atender no unidade de saúde, mas o governo, que é o maior responsável pelo local, tem que contratar mais profissionais e comprar mais equipamentos”, alerta.

Comentários