De olho em 2014, Petecão se movimenta para garantir apoio de partidos

Uma das primeiras tentativas de Petecão foi o PSB, do vice-governador César Messias (Foto: Agência Senado)
Uma das primeiras tentativas de Petecão foi o PSB, do vice-governador César Messias (Foto: Agência Senado)

O senador Sérgio Petecão (PSD), candidato ao governo em 2014, deu início a uma corrida frenética por apoio dos partidos políticos para somar tempo de TV e recursos do fundo partidário. Com os principais grupos da oposição pendendo para a tese defendida por Márcio Bittar (PSDB) da necessidade de candidatura única, a estratégia de Petecão é pegar para si legendas hoje encostadas na Frente Popular.

Uma das primeiras tentativas do senador foi o PSB, do vice-governador César Messias. A estratégia dele é recorrer aos comandos nacionais dos partidos, usando de sua influência como senador, para assegurar os apoios. Como os socialistas Petecão recorreu à candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Aos líderes do PSB, Petecão alegou que, caso o partido continuasse na FPA, Campos ficaria sem palanque no Acre. Por conta disso, a cúpula já teria colocado a leenda no colo de Petecão, provocando um verdadeiro deus-nos-acuda, já que os socialistas estão contemplados com generosos cargos no governo e prefeitura.

Como assegurado em seu palanque ele já tem o PR, partido até então dominado pelo ex-prefeito de Sena Madureira, Nilson Areal. O senador entregou o comando da legenda ao ex-deputado Ilderlei Cordeiro. Outro que caminha para sair da Frente Popular é o PTB, reduto de Chicão Brígido e Osmir Lima. O parlamentar estaria à procura de dirigentes para os trabalhistas.

Dentro da oposição, o senador busca tirar do lado do PSDB o Democratas. Apesar de rusgas passadas, DEM e PSD já estão com as feridas saradas e prontos para uma possível aliança em 2014. O senador ainda pleiteia pela adesão do PMDB.

Comentários