Deputados governistas fazem pressão política por emendas individuais

“É uma falta de respeito com os deputados. O governo precisa respeitar os parlamentares”, diz Manoel Moraes.

Da Agência ContilNet

Deputados estaduais ligados a base do governo reclamam pela não liberação das emendas individuais
Deputados estaduais ligados a base do governo reclamam pela não liberação das emendas individuais

A sessão de quarta-feira (5) na Assembleia Legislativa  do Acre (Aleac) foi marcada pelos discursos enfáticos de alguns deputados estaduais ligados à base do governo, que reclamaram da não liberação das emendas individuais de R$ 100 mil reais para cada parlamentar.

Walter Prado (PEN) e Manoel Moraes (PSB) foram os que fizeram coro ao discurso enfático do deputado Luiz Tchê (PDT), que afirmou que o Acre é o único Estado onde não se pagam as emendas individuais.

Luiz Tchê, deputado acreano que preside o Parlamento Amazônico, afirmou que mesmo a quantia sendo de R$ 100 mil reais para cada parlamentar, o que ele considera pouco, o dinheiro não é liberado.

“Não vejo problema em cobrar essas emendas”, afirmou.

Walter Prado (PEN)  disse que por falta das emendas individuais, os parlamentares ficam impossibilitados de ajudar os municípios onde possuem base eleitoral.

“Eu quero me somar à questão das emendas parlamentares individuais.Não podemos fazer nada para ajudar as cidades que nos elegeram. As emendas têm que ser liberadas para todos os deputados, tanto de oposição quanto de situação”, diz.

Manoel Moraes, líder do PSB na Aleac, afirmou que o governo precisa respeitar os parlamentares e que as emendas precisam ser liberadas.

“É uma falta de respeito com os deputados. O governo precisa respeitar os parlamentares. Eu me sinto envergonhado por (o governo) não liberar essas emendas”, expressou.

Pondo fim à discussão, o presidente da Aleac, Élson Santiago (PEN), afirmou que este é um assunto que deve ser tratado em reuniões internas e que fará todo o possível para acelerar a liberação dos recursos.

Comentários