Desorganização e salários atrasados revelam a situação de falência dos times acreanos

Apesar da crise, Juventus faz boa campanha no estadual (Foto: Manoel Façanha)
Apesar da crise, Juventus faz boa campanha no estadual (Foto: Manoel Façanha)

O campeonato estadual se aproxima do fim do segundo turno e muitos jogadores ainda não receberam um centavo de seus clubes. Dos oito da elite do futebol acreano, quatro estão com salários atrasados. Plácido de Castro, Alto Acre, Andirá e Juventus.

Com uma folha salarial de R$ 40 mil por mês e três meses de salários atrasados, o Juventus é o clube que se encontra na pior situação. Em reunião ocorrida esta semana, o presidente David Abugoche tentou amenizar a situação com os jogadores, prometendo que o primeiro dinheiro que entrar no clube será para o pagamento de salários.

O Andirá e o Alto Acre também estão há 90 dias sem receber. No entanto, no Morcego, todo o dinheiro que entra é dividido entre o grupo.

Os dirigentes são unânimes sobre a falta de apoio. Apesar de existir um convênio com o governo estadual de repasse financeiro aos clubes que disputam competições profissionais, com a falta da prestação de conta dos clubes, ficam impedidos de receber o benefício e são punidos pela falta de organização administrativa.

Atlético Acreano: com participações em competições nacionais, clube conseguiu recursos para pagar salários (Foto: Manoel Façanha)
Atlético Acreano: com participações em competições nacionais, clube conseguiu recursos para pagar salários (Foto: Manoel Façanha)

Para providenciar a documentação exigida pela Controladoria do Estado junto aos clubes, a Secretaria de Esportes e a Federação Acreana de Futebol montaram uma força-tarefa para agilizar a liberação do convênio.

Rio Branco, Atlético Acreano, Galvez e Náuas enfrentam uma situação mais tranquila. O Galvez foi o clube que mais conseguiu patrocinadores. Já Rio Branco e Atlético Acreano receberam recursos pela participação na Copa do Brasil.

Gabriel Rotta, da TV Gazeta

Comentários