Dimas Gurgel – O Brasil se tornou um País de incertezas

Está nítido a todo brasileiro que o Brasil segue desgovernado, a cada dia surge novas denúncias, prisões, escândalos, gerando um desequilíbrio econômico, político, jurídico e ético,  consequentemente prejudicando vários setores da sociedade, em meio a tantas incertezas  superabundância as dúvidas, temos uma classe política que dia pós dia, avulta o descrédito, uma classe jurídica que não tem a confiança de grande parte da população e, uma operação que vem mudando substancialmente o antigo e execrável ditado popular ‘’rouba mas faz’’, talvez não seja apenas necessário mudar as peças e sim as regras do jogo, parece que os que tinham o escopo de combater a corrupção, se tornaram os mais corruptos.

Seguimos em um barco sem rumo e direção nas águas turvas da política brasileira, muitas são as dúvidas e poucas as certezas, várias reformas são citadas, entre as principais estão as tributária, política e da previdência, muitos parecem ser os rumos, mas até hoje ninguém levou o Brasil de fato até lá, temos que admitir que Fernando Henrique esteve próximo, mas não o bastante para transformar todos os nossos sonhos em realidade,  temos que seguir mesmo sem saber para onde, eleições diretas, indiretas, impedimento, renúncia, uma dessas saídas são apontadas por vários pensadores, juristas, economistas, mas acredito mesmo, que a frase do grande e saudoso Renato Russo, talvez seria a solução ‘’Ninguém respeita a constituição, mas todos acreditam no futuro da nação’’, podemos avançar sem respeitar a carta Magna ? podemos avançar desrespeitando o lema da nossa bandeira ‘’ORDEM E PROGRESSO’’ ?

Temos um congresso que mais parece “Sepulcro Caiado”, apresentam mais problemas que soluções, mas pera lá… vamos devagar, aliás o termo usado por lá é o de vossa excelência e, a bandeira que tanto foi respeitada por Rui Barbosa  continua como a principal testemunha da história da Republica Federativa do Brasil, vamos que vamos o samba não pode parar e o show tem que continuar, no barco do salve-se quem puder, segue a tempestade nas águas turvas da política brasileira que vão  do Oiapoque ao Chuí, estamos todos no barco, mas não temos o comando, aliás precisamos recuperar o comando do barco, assim como foi no Titanic tem salva vidas para poucos, para os Reis e Rainhas a terra prometida, para o povo impostos altos, seguimos com as dúvidas o futuro irá nos dá as respostas, mesmo que talvez não  seja as respostas que desejamos, iremos obter, enquanto isso a certeza que temos é que estamos em um rumo errado e, distante de uma solução, Entre outras mil és tu Brasillllllllll.

Comentários