Eleição no TCE é marcada pela ‘governabilidade’

TCEHoje, após sessão plenária, os sete conselheiros do Tribunal de Contas do Acre escolhem o próximo presidente da instituição. O mandato é de dois anos. A conselheira Dulcinéia Benício de Araújo deveria suceder Ronald Polanco, que deixa o cargo. Dulce, como é conhecida, não quer assumir.

Com essa postura, Benício abre possibilidade que Naluh Gouveia seja a escolhida. Em última hipótese, se a ex-deputada também abrir mão do cargo, assume a presidência o conselheiro Valmir Gomes Ribeiro.

Seja quem for o próximo presidente, vai ser pressionado por duas situações: garantir o equilíbrio entre a eficácia dos novos instrumentos de fiscalização com a governabilidade de um ano estratégico para o cenário político de 2014.

O presidente Roland Polanco deu continuidade a um trabalho estruturante iniciado pelo conselheiro José Augusto Araújo de Faria. Qualificação de funcionários, efetivação de cursos de Master in Business Administration (MBA) para servidores e funcionários de prefeituras deram identidade à gestão de José Augusto.

Polanco radicalizou nesse processo e priorizou os sistemas de informática como ferramenta de fiscalização e controle. Além disso, a gestão de Polanco também trouxe o funcionário da instituição para a pauta da presidência. Realização de cursos institucionais de qualificação e realização de concursos públicos fortaleceram o profissionalismo do TCE.

Por mais omisso ou condescendente que o próximo presidente do TCE possa vir a ser, ele terá tantas informações à disposição que só não autuará se não quiser ou o Ministério Público de Contas permitir, também por omissão. A ferramenta está lá, pronta para ser usada.

A conselheira Naluh Gouveia sustenta, nos princípios de “lealdade e ética”, o argumento de que trabalha com o cenário “de que a Dulce assuma”. “Eu conheço poucas pessoas que tenham uma conduta tão correta, tão séria, tão digna quanto a Dulce”, afirma a conselheira Naluh Gouveia.

A definição do nome do novo presidente, do vice-presidente e do corregedor do TCE do Acre deve acontecer até por volta de uma da tarde.

A Gazeta

Comentários