Em coletiva, Asmac repudia afirmações de governistas e declara apoio a Denise Bonfim que está sendo ameaçada de morte

Em virtude das recentes declarações, publicadas nas redes sociais e divulgada nos meios de comunicação, por parte de alguns políticos governistas que questionam a atuação de magistrados, bem como do judiciário acreano, por conta da Operação G7, da Polícia Federal, O presidente da Associação dos Magistrados do Acre – Asmac, Raimundo Nonato da Costa Maia e membros da Diretoria da entidade se reuniram em coletiva para declarar apoio a Desembargadora Denise Castelo Bonfim e para repudiar as declarações de políticos petistas e membros governistas.

A desembargadora foi que determinou as prisões de gestores públicos e empresários da construção civil, estaria sendo alvo de criticas por parte de membros governistas, bem como o Poder Judiciário que foi acusado de estar a “serviço” do grupo de oposição da política estadual.

De acordo com magistrado o trabalho do Judiciário acreano independe de agremiações políticas, é realizado com isenção, técnica e respeitando a Lei.

“Não trabalhamos com opções políticas, o trabalho do Judiciário é um trabalho técnico e dentro da Lei e por isso estamos reunidos aqui para repudiar toda e qualquer insinuação quanto a legalidade e transparência da atuação do Poder Judiciário acreano, além de declarar total e irrestrito apoio a Desembargadora Denise Castelo Bonfim”, declarou o magistrado.

O Diretor de Comunicação da Asmac, Juiz Giordane Dourado considerou as declarações do senador Aníbal Diniz, que afirmou que o Judiciário estaria a “serviço” do grupo de oposição no Acre, como irresponsável.

“Considero irresponsável as afirmações que o Poder Judiciário está ligado a denominações políticas, é irresponsabilidade afirmar que o Judiciário tem atrelamento político. Repudiamos qualquer alegação e imputação genérica que ponha em questionamento a atuação do Judiciário acreano. O Poder Judiciário é imparcial”, afirmou Giordane Dourado.

Ameaças de morte – Durante a coletiva o presidente da Asmac, Juiz Raimundo Nonato da Costa Maia revelou que a Desembargadora Denise Castelo Bonfim, que determinou as prisões dos envolvidos na Operação G7, está recebendo ameaças de morte por meio de ligações telefônicas. O magistrado afirmou também que chegou ao conhecimento da entidade de que um plano para executar Denise Bonfim estaria sendo montado dentro da penitenciária e que a morte da Desembargadora teria que acontecer de qualquer forma.

Raimundo Nonato disse que a Desembargadora já teria comunicado oficialmente a presidência do Tribunal de Justiça e que medidas protetivas já estariam sendo preparadas.

Intervenção Federal – O Juiz Giordane Dourado declarou durante a coletiva que não serão ameaças que impedirão os trabalhos do Judiciário e prometeu levar ao conhecimento da mais Alta Corte, Supremo Tribunal Federal (STF) as ameaças feitas contra a Desembargadora Denise Bonfim e que se for necessário pedira uma intervenção federal no Acre.

Fonte: ac24horas

Comentários