Em visita ao Acre, Secretário do Ministério da Saúde garante participação de médicos formados no exterior no Programa Mais Médicos

Na próxima semana o Ministério da Saúde deve abrir novo edital para a contratação de profissionais do Programa Mais Médicos. A novidade é que as vagas que antes eram preenchidas por cubanos, agora serão preenchidas por brasileiros formados no exterior.

A boa notícia foi dada na manhã desta terça-feira, 18, pelo secretário de Gestão do Trabalho e da Educação da Saúde – SGTES, do Ministério da Saúde, Rogério Abdalla, que cumpre agenda no Acre e fez questão de tratar do tema com dezenas de médicos em reunião coordenada pelo deputado federal Alan Rick, no auditório do Hotel Pinheiro.

“Vocês pediram e nós vamos atender. Vim aqui trazer a boa notícia. Cuba fez pressão e nós tomamos uma decisão: as vagas antes preenchidas por cubanos agora serão preenchidas por médicos brasileiros, incluindo os formados no exterior. O Edital que iremos abrir na próxima semana tem previsão de duas mil vagas. Destas, mil serão destinadas aos médicos formados no exterior”, disse Rogério Abdalla à plateia de médicos, a quem fez apenas um pedido: “precisamos de vocês em todo o país, cuidando dos pacientes. Sejam humanistas, como são os cubanos. Isso faz uma grande diferença no atendimento”, destaca o secretário, que cumpre extensa agenda de compromissos hoje e amanhã em Rio Branco.

O secretário disse esperar contemplar cada um dos presentes com as mudanças que estão sendo efetuadas, para valorizar os brasileiros formados em medicina no exterior e que querem trabalhar no Brasil. “Estimamos que em dois meses esse edital já esteja concluído e espero encontrar com vocês em Brasília, para que vocês, como médicos que são, possam cuidar da população em todo o país”, disse.

O Deputado Alan Rick, que tem sido um dos grandes batalhadores na inclusão de médicos brasileiros formados no exterior no Programa Mais Médicos, fez questão de agradecer ao secretário e ao Ministro da Saúde Ricardo Barros por mais essa conquista que contempla os acreanos formados em medicina na Bolívia, no Peru, no Paraguai, na Argentina e em outros países.

RECONHECIMENTO

“Tivemos uma grande vitória no ano passado, quando o Ministério da Saúde incluiu na Portaria Interministerial 1708/2016, a nossa emenda que retira dos médicos brasileiros a exigência voltada aos médicos estrangeiros de que o país de formação tenha relação médico/habitante superior a 1,8 por mil habitantes. Agora avançamos muito mais. Quero aqui agradecer ao ministro Ricardo Barros e ao Dr. Abdalla que não mediram esforços para que esse dia chegasse e os médicos brasileiros pudessem ser incluídos no Mais Médicos. Quero agradecer também ao senador Gladson Cameli, que tem nos ajudado nessa luta”, disse Alan Rick.

O acreano Luiz Carlos Oliveira Júnior, um dos presentes à reunião, fez questão de agradecer ao deputado Alan Rick por seu empenho na defesa dos interesses dos médicos brasileiros formados no exterior. “O deputado Alan Rick tem sido um grande guerreiro nesta causa. Essa é uma oportunidade que esperávamos há muito tempo. Nós nos formamos e queremos trabalhar. Não importa em que lugar do país. Queremos exercer a medicina e honrar o nosso juramento de médico de cuidar de vidas”, disse Júnior.

Ribamar Rego, outro médico acreano formado no exterior, destacou a importância da mudança nos editais do Ministério da Saúde para contemplar médicos brasileiros. “Nós iremos valorizar essa oportunidade. Somos pais de família que buscam uma oportunidade de trabalho e de exercício da medicina. Essa sempre foi a nossa reivindicação. Nós estudamos e aprendemos a cuidar de vidas. Agora teremos a oportunidade de exercer tudo o que aprendemos”, disse.

Comentários