Endividada, Prefeitura de Assis Brasil recorre a projetos para captar recursos e sanar débtios

O prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho (PSDB), esteve em Rio Branco na última terça-feira, dia 22, na sede da Associação dos Prefeitos do Acre (Amac). Ele veio em busca de apoio para a elaboração de projetos visando à captação de recursos para seu município.

Betinho informou que a situação do município não está nada agradável, com dívidas superando a casa dos R$ 5 milhões. De acordo com ele, o município está ‘sucateado’. “Assis Brasil hoje deve estar na pior condição dos municípios do Acre. Já ultrapassamos os R$ 5 milhões em dívidas. Sem incluir os atrasos nos salá-rios e aluguéis de carros”, frisou o prefeito tucano.
Ainda segundo o gestor, o município está inadimplente por causa de empréstimos, convênios, entre outros contratos realizados na gestão anterior. Mas, ele ressalta que até o final de fevereiro o município fronteiriço ficará adimplente.

“Nosso planejamento é que até o fim de fevereiro estejamos com as contas da prefeitura no azul”, sinalizou Betinho.

Por causa da inadimplência, Assis Brasil deixou de receber 2 caminhonetes que seriam destinadas para o apoio nos trabalhos daquela prefeitura. Nesse sentido, o prefeito lamentou que uma cidade com problemas evidentes venha sofrer prejuízos pelo fato de estar com dívidas pendentes. “Para um município pobre como Assis Brasil, não podemos nos dar o luxo de perder estas caminhonetes, por conta de inadimplência e má gestão”, argumentou.

O prefeito disse também que irá a Brasília participar do Encontro Nacional dos Prefeitos, realizado nos dias 28, 29 e 30 de janeiro. Na oportunidade, Betinho afirmou comparecer aos gabinetes da bancada federal para cobrar recursos para o município. “Vamos aos gabinetes da nossa bancada em Brasília. Vou pedir as emendas que eu já apresentei ao meu município”, finalizou o chefe do executivo de Assis Brasil.

Ex-prefeita se defende – A GAZETA em contato com a ex-prefeita de Assis Brasil, Eliane Gadelha (PT), para dar sua versão sobre os fatos. Ela informou, por sua vez, que os R$ 5 milhões em dívidas deixadas são de encargos sociais (como FGTS e INSS) e que não foram adquiridas em sua gestão. “São dívidas que vêm se arrastando de outras gestões. Não fomos nós que fizemos essa dívida como a atual gestão coloca”, disse Eliane Gadelha.

A ex-prefeita reconhece que houve atrasos nos pagamentos dos professores que tem contratos provisórios com o município. Ela informou que R$ 130 mil foi o valor especificado na folha de pagamento e que não foram efetuados.

Quanto ao patrimônio público deixado pela gestão anterior para a atual gestão, Gadelha diz que a frota apresentada pelo prefeito Dr. Betinho (PSDB) são tratores ‘antigos’ e que a prefeitura fez esforços para consertar o maquinário, porém, o alto custo das peças e a falta de recursos inviabilizaram a manutenção.

Eliane Gadelha afirma ter entregado à nova gestão 1 micro-ônibus novo, 1 retroescavadeira nova, além de 1 caçamba em boas condições. No tocante a recursos, a ex-prefeita falou que um convênio de R$ 414 mil foi assinado para a recuperação de calçadas agora no final de sua gestão.

A Gazeta

Comentários