Epitaciolândia realiza II Conferencia Municipal de Cultura

II Conf de cultura dia 21 fotos Ana Freitas (13)

O Município de Epitaciolândia sediou nos dias 20 e 21 de junho a  II Conferência Municipal de Cultura – CMC etapa integrante da III Conferência Estadual de Cultura e da III Conferência Nacional de Cultura – CNC, a abertura aconteceu nesta quinta feira dia 20 no Centro de Cultura e Florestania Raimundo Nonato da Rocha e contou com as presenças do Prefeito André Hassem, a Sra. Francis Meire Alves da Silva Presidente da Fundação Elias Masour, Raimundo Nonato Gondim Vice Prefeito, Rivaldo Rocha Sec. Mun. de Esportes Cultura e Lazer, Eunice Maia Secretária Municipal de Educação, Padre Raimundo representando a Igreja Católica, representado as igrejas evangélicas o Pastor Ari Rufino, coordenadores, diretores, gestores escolares e população representada.

Na abertura Francis Meire falou da importância da realização da conferência para o bom andamento da cultura, segundo ela é através de idéias apresentadas e debatidas que surgirão propostas que se transformarão em projetos que beneficiam a comunidade, para André Hassem prefeito de Epitaciolândia, a realização da Conferencia é um marco para um novo tempo na cultura de nosso município “Estamos elaborando projetos para que possamos investir mais na nossa cultura local e com isso beneficiar nossos fazedores de cultura, estamos felizes com a realização da conferencia e vamos dar total apoio para este setor” finalizou André agradecendo a todos pela presença.

No dia 21 sextas feiras cerca de 200 pessoas participaram do segundo dia de Conferencia debatendo eixos voltados para uma cultura sustentável com o tema: ”Uma Política de Estado para a Cultura: desafios dos sistemas de cultura”,

conforme os eixos e sub-eixos abaixo especificados:

1.  IMPLEMENTAÇÃO DOS SISTEMAS DE CULTURA

Foco: impactos da Emenda Constitucional do Sistema Nacional de Cultura – SNC na organização da gestão cultural e na participação social nos três níveis de governo (união, estado e municípios);

1.1. Marcos legais, participação e controle social e funcionamento dos sistemas de cultura, de acordo com os princípios constitucionais do SNC;

1.2. Qualificação da gestão cultural: desenvolvimento e implementação de planos de cultura e formação de gestores governamentais e não governamentais e conselheiros de cultura;

1.3. Fortalecimento e operacionalização dos sistemas de financiamento público e privado da cultura: orçamentos públicos, fundos de cultura, incentivos fiscais e empréstimos;

1.4. Sistemas de informação cultural e governança colaborativa.

2.  PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL 

Foco: o fortalecimento da produção artística, de bens simbólicos, da proteção e promoção da diversidade das expressões culturais, garantindo a equidade com atenção para a diversidade étnica e racial.

2.1. Criação, produção, preservação, intercâmbio e circulação de bens artístico-culturais;

2.2.   Educação e formação artístico-cultural;

2.3.   Democratização da comunicação e cultura digital;

2.4.   Valorização do patrimônio cultural e proteção aos conhecimentos dos povos e comunidades tradicionais.

3.  CIDADANIA E DIREITOS CULTURAIS

Foco: garantia do pleno exercício dos direitos culturais e consolidação da cidadania, garantindo a equidade com  atenção  para  a  diversidade étnica e racial.

3.1. Democratização e ampliação do acesso à cultura e descentralização das redes de equipamentos, espaços e serviços culturais, em  conformidade  com  as  convenções  e  acordos internacionais;

3.2. Diversidade cultural, acessibilidade e tecnologias sociais;

3.3. Valorização e fomento das iniciativas culturais locais e articulação em rede;

3.4. Formação para a diversidade, proteção e salvaguarda do direito à memória e identidades;

3.5. As linguagens artísticas como instrumento de educação e promoção da cidadania.

4.  CULTURA E DESENVOLVIMENTO

Foco: economia criativa como estratégia para o desenvolvimento sustentável.

4.1. Institucionalização de territórios criativos e valorização do patrimônio cultural nos destinos turísticos brasileiros para o desenvolvimento local e regional;

4.2. Qualificação em gestão, fomento financeiro e promoção de bens e serviços criativos no Brasil e no exterior;

4.3. Fomento à criação/produção, difusão/distribuição/comercialização e consumo, fruição de bens e serviços criativos, tendo como base as dimensões (econômica, social, ambiental e cultural) da sustentabilidade;

4.4. Aperfeiçoamento dos instrumentos jurídicos existentes sobre direitos autorais e conexos, criação e dinamização da economia criativa brasileira.

No final da manhã foi votado as propostas para a III Conferencia estadual e escolhido os delegados que irão defende-las na III Conferência Estadual de Cultura. Segundo o Coordenador de cultura de Epitaciolândia e organizador da II Conferência Joaquim Borges, a participação da juventude foi de fundamental importância para o sucesso do evento, “só temos que agradecer a todos pela participação até o final, isso mostra que nossa população está compromissada com nossa cultura”.

Comentários