Fábrica de preservativos Natex beneficia mais de 500 famílias

Samuel Bryan

A Natex é resultado do projeto do governo do Acre de associar o uso sustentável da floresta amazônica às tecnologias de ponta para produção de preservativos masculinos, e está em funcionamento desde 2008, na cidade de Xapuri. É um departamento da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), criada com recursos de um convênio entre governo do Estado e Ministério da Saúde e capacidade para produzir cerca de 100 milhões de camisinhas por ano. Toda a produção é absorvida pelo Ministério da Saúde, que destina o material aos programas de combate às DSTs.

Em 2012 a Natex produziu mais de 70 milhões de preservativos masculinos (Foto: Arquivo Secom)
Em 2012 a Natex produziu mais de 70 milhões de preservativos masculinos (Foto: Arquivo Secom)

“Atualmente, cerca de 700 famílias da Reserva Chico Mendes estão cadastradas para vender látex e pelo menos 500 permanecem em atividade”, conta o presidente da Funtac, Luiz Mesquita. Hoje existem cerca de 2.500 famílias na reserva. As famílias que colhem o látex podem levar a um dos 16 pontos de coleta cadastrados pela fábrica para vender o produto. Quatorze desses pontos estão dentro da própria reserva, facilitando a vida dos produtores.

Cerca de 700 famílias da Reserva Chico Mendes estão cadastradas para vender látex para a fábrica (Foto: Arquivo Secom)
Cerca de 700 famílias da Reserva Chico Mendes estão cadastradas para vender látex para a fábrica (Foto: Arquivo Secom)

Com 170 funcionários, a fábrica encerrou 2012 com uma produção recorde de mais de 70 milhões de camisinhas. A compra de látex dos extrativistas locais também contempla o subsídios da borracha. A ação existe desde 1999 para viabilizar a produção da borracha. O subsídio vale para todos os produtores e não apenas aqueles que vendem sua produção para a fábrica de preservativos. Hoje, o quilo do látex está sendo vendido a R$ 4,80 para a fábrica.

Expansão

A Natex é resultado do projeto do governo do Acre de associar o uso sustentável da floresta amazônica às tecnologias de ponta (Foto: Arquivo Secom)
A Natex é resultado do projeto do governo do Acre de associar o uso sustentável da floresta amazônica às tecnologias de ponta (Foto: Arquivo Secom)

“Apesar de toda a dificuldade de repasse e recursos em 2012, conseguimos bater o recorde de produção de camisinhas e estamos muito satisfeitos com isso”, disse Luiz Mesquita. A novidade para a Natex é que já foram aprovados no Ministério da Saúde os recursos para a duplicação do maquinário da empresa, o que vai fazer a produção chegar a 200 milhões de preservativos por ano. Apenas a liberação está sendo aguardada para que a licitação possa ser feita, o que vai gerar mais empregos diretos e indiretos.

Comentários