Fundação Milton Campos fará estudo de viabilidade econômica no Acre

O parlamentar acriano tem demonstrado preocupação com as consequências da crise econômica no estado e já organizou a visita de vários ministros à região para mostrar a realidade local.

ASSESSORIA

A Fundação Milton Campos, em parceria com a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), fará um estudo de viabilidade econômica nos municípios acrianos a pedido do senador Gladson Cameli (PP-AC). “O Acre é um estado pequeno, com pouco mais de 800 mil habitantes; mas, ainda assim, demonstra grande vitalidade econômica, mesmo neste momento de crise que o Brasil atravessa”, avalia Gladson.

“Se o que vai alavancar a nossa economia é a pecuária, é a soja, é a farinha, é a madeira, não importa. Em cada região, nós vamos assumir o compromisso de abrir as portas para o desenvolvimento com responsabilidade social e ambiental. Sobretudo, respeitando as pessoas, as famílias, os trabalhadores e empreendedores que fazem o Acre prosperar”, afirmou o senador ao fazer o anúncio no plenário do Senado.

O parlamentar acriano tem demonstrado preocupação com as consequências da crise econômica no estado e já organizou a visita de vários ministros à região para mostrar a realidade local. Blairo Maggi, da Agricultura, esteve em Rio Branco no início da semana reunido com produtores a convite de Gladson Cameli. Em fevereiro, o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, visitou os municípios de Cruzeiro do Sul e Tarauacá.

“O potencial agroindustrial do Acre ainda não está completamente aproveitado. Ainda sofremos com a precariedade das estradas vicinais, adversidades climáticas, barreiras comerciais e a burocracia que atrapalha as linhas de financiamento e o avanço tecnológico. Além da perseguição implacável de órgãos controladores ambientais incentivados por uma política ambientalista insustentável. São obstáculos que precisamos vencer. Nós não precisamos desmatar, nós não precisamos dar incentivo para o desmatamento, porque o que já está lá dá para produzir”, defende o parlamentar.

Comentários