Governo descumpre acordos e Sindmed chama categoria para assembleia

Segundo o presidente do Sindmed, José Ribamar Costa, a reunião servirá para apresentar todas as tentativas de negociação com a Secretaria de Estado da Saúde.

Presidente do Sindmed do Acre, José Ribamar em reunião recente com a secretaria de saúde do , Suely Melo/Foto: Agência
Presidente do Sindmed do Acre, José Ribamar em reunião recente com a secretaria de saúde do Estado, Suely Melo/Foto: Agência

Depois que o governo do Estado deixou de cumprir os acordos firmados com a classe médica, o Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) realiza às 19 horas desta sexta-feira (4) uma assembleia para ouvir a categoria que pode deliberar várias mobilizações para outubro, no Mês dos Médicos. No acordo feito entre o governo e os trabalhadores estava o lançamento do edital para concurso público até o final de setembro o que não aconteceu.

Segundo o presidente do Sindmed, José Ribamar Costa, a reunião servirá para apresentar todas as tentativas de negociação com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesacre) que chegou a se comprometer perante a promotoria de Saúde o Ministério Público Estadual (MPE) e com o Ministério Público do Trabalho (MPT) em atender as demandas dos trabalhadores.

“Nosso objetivo é garantir a melhoria dos serviços de saúde, o que acabou sendo aceito pela equipe de negociação do governo que construiu uma agenda para que todas as propostas fossem colocadas em prática, mas eles descumpriram todas as promessas”, afirmou José Ribamar Costa.

Os acordos foram fechados durante a greve dos médicos, em julho.

Desde 2011, o Sindmed reivindica da Sesacre a melhoria dos serviços prestados, como garantia do fornecimento de medicamentos, o fim da demora para a realização de exames e o fim das filas para cirurgias

“O Programa Mais médicos é eleitoreiro, fazendo o atendimento nos postos e unidades de atendimento primário, mas o governo não fala em resolver o problema da demora para as cirurgias, dos exames e o fornecimento de medicamentos que chegam a faltar nos hospitais, por isso a categoria se mobilizou”, afirmou o sindicalista.

 

Fonte: Assessoria

Comentários