Governo do Acre quer novo empréstimo de R$ 124 milhões

Moisés Diniz volta a defender o governo depois de anuncio de possível indicação de Perpetua para o Senado

Da redação, com Ray Melo (ac24horas)

O governador Sebastião Viana (PT) encaminhou na manhã desta quarta-feira (10), um projeto que pede autorização da Aleac para contrair um novo empréstimo de mais de R$ 124 milhões. De acordo com a mensagem nº 492 de 09 de julho de 2013, o Governo do Acre fica autorizado a contratar a operação financeira junto a Caixa Econômica Federal (CEF), além de abrir créditos adicionais que seriam contratados sem autorização do Poder Legislativo.

Segundo o projeto do governo, os recursos serão utilizados no “Programa Pró-Transporte,  modalidade Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas, no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) –  2ª fase, e dar outras providências”. O projeto informa ainda, que serão pavimentadas as vias em bairros de Rio Branco, contemplando serviços de pavimentação, rede de abastecimento de água e drenagem superficial.

A mensagem do governador informa que é “imprescindível destacar que se torna possível inscrever a operação financeira de crédito no espaço fiscal que o estado já tem aprovado”. Mesmo antes de a matéria entrar em votação, o novo empréstimo dividiu opiniões nos bastidores da Aleac. O bloco de oposição alerta para o endividamento do Acre. De acordo com os oposicionistas, o governo poderá perder o controle da situação.

O vice-presidente da Aleac, deputado Moisés Diniz (PCdoB) disse que vai defender o empréstimo na tribuna da Casa. Para ele, o Acre está entre as melhores situações para contrair empréstimo entre os 26 estados e o Distrito Federal. O deputado Moisés Diniz, que andava arredio com o governo, se mostra mais calmo e depois que ouviu especulação de que o PT poderá apoiar a candidatura de Perpetua Almeida ao senado, disse que  vai defender o empréstimo na tribuna da Casa.

“O meu estado ainda tem condições de fazer operações financeiras para investimentos em ações que geram emprego e renda. Vou apresentar os dados na tribuna”, destaca o comunista.

A capacidade de endividamento do Acre seria de R$ 5 bilhões. A atual administração foi a que mais contraiu empréstimos entre os três últimos governos petistas.

Comentários