Governo entrega caminhonetes para fortalecer atendimento do Samu no Acre

Mônica Araújo (Assessoria Sesacre)

Quando se fala em atendimento emergencial, o Samu do Acre é a maior referência no Estado. Para ampliar esse serviço, o Ministério da Saúde, por meio do governo do Estado, entrega seis veículos caminhonetes traçadas e adaptadas como ambulância para facilitar os atendimentos em locais de difícil acesso, como, por exemplo, os ramais, que em determinadas épocas do ano têm o acesso limitado.

Os veículos estão sendo transportados em um caminhão-cegonha e têm previsão de chegar a Rio Branco, neste sábado, 23. A doação aos municípios será feita após o processo de emplacamento, seguro e contratação da equipe que irá tripular o veículo, que ficará sob a coordenação da regulação de urgência.

De acordo a coordenadora do Samu, Lúcia Carlos, as ambulâncias são de extrema necessidade para atendimento às vitimas que residem em ramais, especificamente no período invernoso.

“Essa é mais uma conquista do governo do Acre, que a cada dia vem ampliando e qualificando os serviços de saúde no Estado. Durante nove anos de funcionamento era o nosso maior desejo receber esses veículos. Estamos realizando um sonho que é de oferecer o melhor à população”, afirma Lúcia.

Ela lembra ainda as dificuldades para resgatar as vítimas em algumas localidades. “Enfrentamos muitas dificuldades para o socorro em área rural. Temos como parceiros a polícia e o corpo de bombeiros que sempre nos disponibilizavam carros, mas não era o ideal para o transporte das vítimas”, garante Carlos.

As caminhonetes serão distribuídas para os municípios de Assis Brasil – para atender as ocorrências das áreas de difícil acesso do Alto Acre -, Cruzeiro do Sul que irá atender os casos onde há mais dificuldade de acesso naquela região, como em Santa Luzia, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, nas áreas do Badejo, Pentecoste, Japãozinho e Canela Fina, e as demais ficarão na central de Rio Branco para dar cobertura aos municípios de Sena Madureira, Plácido de Castro, Acrelândia, Bujari e Porto Acre.

Comentários