Governo faz corte de gastos de R$ 28 bilhões no orçamento deste ano

Montante foi inferior ao do ano passado; objetivo é estimular o crescimento da economia

Reuters

Mantega: "O crescimento de 3,5% não deve ser visto como projeção, mas como parâmetro" -  Agência Brasil
Mantega: “O crescimento de 3,5% não deve ser visto como projeção, mas como parâmetro” – Agência Brasil

O governo decidiu fazer um contingenciamento de R$ 28 bilhões no orçamento deste ano, num montante bem inferior aos R$ 55 bilhões anunciados no ano passado, com objetivo de estimular o crescimento da economia.

Também para garantir a aceleração da atividade, o governo anunciou que deve buscar uma meta de superávit primário de R$ 110,9 bilhões, incluindo o abatimento de R$ 45 bilhões da meta total de R$ 155,9 bilhões, segundo apresentação do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas divulgado nesta quarta-feira (22).

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o valor do abatimento no superávit primário não é obrigatório.

No documento divulgado nesta quarta-feira (22), elaborado pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento, o governo também confirmou que prevê expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,50% neste ano e que a estimativa para a inflação medida pelo IPCA foi elevada a 5,20% em 2013, de 4,90% no Orçamento.

“O crescimento de 3,5% neste ano não deve ser visto como projeção, mas como parâmetro”, afirmou Mantega ao apresentar os números.

Redução no custeio

Segundo o ministro da Fazenda, o ajuste nas despesas foi orientado para a redução no custeio e preservação dos investimentos prioritários. Mantega disse que o governo projeto crescimento do investimento de 6% em 2013 e de 7% no ano que vem.

“Estamos ampliando investimentos com consolidação fiscal”, disse ele.

Além disso, o governo previu também que as desonerações ficarão em R$ 72,1 bilhões neste ano e em R$ 91,5 bilhões em 2014.

A previsão de receita primária total em 2013 foi reduzida em R$ 67,8 bilhões, e as transferências a Estados e municípios diminuída em R$ 20,3 bilhões neste ano.

(Por Luciana Otoni e Alonso Soto)

Comentários