Governo lança campanha para diagnosticar hanseníase e verminoses no Estado

Com o slogan “Hanseníase e Verminoses Têm Cura. É Hora de Prevenir e Tratar”, o governo do Estado do Acre, em parceria com o Ministério da Saúde (MS) e as secretarias municipais de Saúde, lançam nesta quarta-feira, 12, a Campanha Nacional de Hanseníase e Geohelmintíases.

Marcelo Torres (Assessoria Sesacre)

A ação ocorre a partir das 10 horas, no auditório da Secretaria de Estado de Educação (SEE). Participam da solenidade a secretária de Estado de Saúde Suely Melo e o secretário de Estado de Educação Daniel Zen.

A campanha tem o objetivo de identificar os casos suspeitos em estudantes das escolas públicas da capital – com idade de 5 a 14 anos – e será desenvolvida por meio das secretarias municipais de Educação e Saúde. Entre os dias 18 e 22 de março, agentes comunitários e profissionais do Programa Saúde da Família realizarão visitas às escolas da rede de ensino fundamental em busca de sinais e sintomas da doença. Os casos suspeitos serão atendidos e encaminhados para acompanhamento na Rede de Atenção Básica de Saúde para continuação do tratamento.

De acordo com a responsável técnica da Divisão de Prevenção e Promoção à Saúde, Disneide Lopes, a iniciativa pretende identificar de forma precoce os casos suspeitos de hanseníase e reduzir a carga das verminoses. “Esses tipos de parasitas podem prejudicar o desenvolvimento e o rendimento escolar da criança”, explica.

Disneide ressalta que o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza medicamentos gratuitamente para o tratamento e treina os profissionais de saúde para o atendimento.

Dados do MS apontam que entre os anos de 2001 e 2011 houve uma redução de 61,4% nos casos de pacientes em tratamento, passando de 3,99 por 10 mil habitantes para 1,54. No mesmo período, o número de serviços com pacientes em tratamento de hanseníase cresceu 142%.

No Acre, segundo a coordenadora da Área Técnica Estadual de Hanseníase, Franciely Gomes, houve uma redução de 7,37% entre 2011 e 2012. Em 2011 foram registrados 236 casos. Já em 2012 esse número diminuiu para 178 casos de hanseníase.

“Nosso objetivo é diminuir cada vez mais esse percentual. O Governo vem realizando ações que visam essa redução, principalmente em parceria com outras instituições e essa campanha é um exemplo disso. Queremos alcançar todos os municípios do Estado. Nesse primeiro momento a campanha será intensificada nos municípios de Bujari, Feijó, Marechal Thaumaturgo, Rio Branco e Santa Rosa do Purus. As ações já começam a partir do dia 18 de março”, afirma Franciely.

Conheça a hanseníase e a Geohelmintíases

A hanseníase é transmitida de pessoa para pessoa por quem tem contato muito próximo e prolongado com o doente, dentro do núcleo familiar ou da comunidade em que vive.

Geralmente, não é transmitida em local público. A hanseníase tem cura, mas pode causar incapacidades físicas se o diagnóstico for tardio. O tratamento é gratuito e eficaz, com duração média de seis meses a um ano.

Já a Geohelmintíases são grupos de doenças parasitárias intestinais que acometem o homem e são causadas principalmente pelo Ascaris lumbricoides, Trichuristrichiuria e pelos ancilostomídeos. Esses helmintos, transmitidos por meio do solo, podem causar a morte, porque afetam a situação de nutrição e os processos cognitivos.

Marcelo Torres (Assessoria Sesacre)

Comentários