Homem é transportado em cima de porta por falta de ambulância em Feijó

Diante do desespero por parte dos familiares, a Polícia Militar assumiu a responsabilidade de improvisar, com duas portas de uma casa, o transporte das vítimas.

Na tarde desta sexta-feira (2), um grave acidente envolvendo dois motociclistas foi registrado no município de Feijó. Os motociclistas Gleison Lima Nascimento, de 25 anos, e Wílson de Sousa Araújo, de 26 anos, dirigiam em sentidos contrários e se chocaram na Avenida Plácido de Castro.

Gleison trafegava do 2º Distrito do município rumo ao centro, em uma Titan 150, enquanto Wílson vinha em sentido contrário, com uma Bros 150. Informações dão conta de que o acidente ocorreu porque um dos motociclistas saiu de sua via a fim de desviar dos inúmeros buracos na rodovia. Os dois estão em estado grave.

A vítima teve que ser levada para o hospital em cima de uma porta (Fotos: Cedidas à Agência ContilNet)
A vítima teve que ser levada para o hospital em cima de uma porta (Fotos: Cedidas à Agência ContilNet)

Segundo foi apurado, Gleison mostrava sinais de lesões graves por todo o corpo e jorrando sangue pelos ouvidos. O 190 foi acionado para garantir a segurança do local, já que os moradores estavam revoltados pela espera de uma ambulância para prestar os devidos socorros, o que não aconteceu. Centenas de pessoas permaneciam no local do acidente.

Como a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) não apareceu para prestar socorro, um morador que estava no local do acidente e reside nas imediações, cedeu duas portas de uma mercearia para servir de maca, e as duas vítimas foram transportadas em duas camionetes: uma da polícia e a outra de um órgão.

Enfermeira protege as mãos com sacos plásticos por falta de luvas
Enfermeira protege as mãos com sacos plásticos por falta de luvas

Ao presenciar tal descaso com as vítimas do acidente, a vereadora Matildes, do PSDB, decidiu representar o Estado do Acre por negligência na prestação de socorro às vítimas que, segundo informações, ficaram cerca de meia hora agonizando no meio da avenida, à espera de uma ambulância do Samu.

Diante do desespero por parte dos familiares, a Polícia Militar assumiu a responsabilidade de improvisar, com duas portas de uma casa, o transporte dos dois motociclistas para o hospital de Feijó.

“Não podemos admitir que fiquem enganando a população, dizendo que o Acre tem saúde de primeiro mundo; esse fato que tive a infelicidade de presenciar é mais um de tantos outros que têm acontecido em Feijó”, expressou, indignada.

A vereadora ainda afirma que foi à Capital, Rio Branco, para que a situação fosse regularizada e solucionada, porém sem sucesso:
“Fui a Rio Branco por várias vezes, conversei com a secretária de Saúde com relação à ambulância, ela me deu a garantia que estava mandando uma ambulância seminova para Feijó, mas isso não aconteceu, mandaram para nós um lixo, que passa uma semana em Feijó e outra em Rio Branco”.

E conclui: “Não podemos permitir que o cidadão feijoense seja enganado por esse governo”.

Vereadora de Feijó diz que as vítimas agonizaram no chão por várias horas à espera de uma ambulância
Vereadora de Feijó diz que as vítimas agonizaram no chão por várias horas à espera de uma ambulância
Vereadora de Feijó diz que as vítimas agonizaram no chão por várias horas à espera de uma ambulância
Vereadora de Feijó diz que as vítimas agonizaram no chão por várias horas à espera de uma ambulância

 

Comentários