Homicida que matou desafeto a pauladas em Epitaciolândia é preso em Plácido de Castro

Ação de policiais de Plácido de Castro foi fundamental para prender acusado

Alexandre Lima

Chegada de Vanilson em Epitaciolândia na tarde desta quinta-feira (24), para ser ouvido e depois tranferido para o presídio na Capital. foto: Alexandre Lima
Chegada de Vanilson em Epitaciolândia na tarde desta quinta-feira (24), para ser ouvido e depois transferido para o presídio na Capital. Foto: Alexandre Lima

O crime ocorreu depois de uma bebedeira no final do mês de outubro de 2012, no Ramal da Piçarreira, localizado na zona rural do município de Epitaciolândia, que ligado à BR 317, sentido Rio Branco, Capital do Acre.

O acusado, Vanilson Acha Oliveira (32), que estaria em liberdade condicional depois de se envolver numa tentativa de homicídio, tentava levar a vida tranquila na zona rural de Epitaciolândia até se encontrar com Venâncio Lima Neto, na época com 40 anos.

Os dois já haviam tido uma desavença onde foram às vias de fatos (briga), mas tentavam deixar isso pra lá e fizeram as pazes até se encontrar, resolveram comprar umas garrafas de cachaça e passaram a noite bebendo, até se desentenderem de novo.

A confusão foi generalizada, com ameaças e direito da ‘turma do deixa prá lá’ se envolver para apartar a briga. Foi quando Vanilson saiu da casa e deixando a entender que iria embora e que tudo estaria resolvido e ninguém saiu ferido.

Depois de algum tempo e já de madrugada, Venâncio também resolveu que ia para casa, mas não sabia que sua vida estava por terminar. A poucos metros da casa onde estava bebendo, foi atacado por Venilson que lhe acertou golpes na cabeça com um pedaço de pau.

Venâncio não teve chance ao ser atacado por Venilson e morto a golpes de pau na cabeça - Foto: Arquivo
Venâncio não teve chance ao ser atacado por Venilson e morto a golpes de pau na cabeça – Foto: Arquivo

Venâncio caiu no chão desmaiado, mas, ainda receberia outros fatais e morreria ali mesmo. Segundo testemunhas que constam no inquérito policial, o acusado foi embora tomando rumo ignorado até esta quinta-feira, dia 24, cerca de três meses depois quando foi localizado em Plácido de Castro.

Venilson sabia que poderia ser preso a qualquer momento, e falou que teria se entregado no início desta semana, mas, não conseguiu contratar um advogado. Falou que estava tentando levar a vida pelos seringais da Bolívia catando castanha e cortando seringa, além de trabalhos braçais pelas colônias.

Sua chegada aconteceu por volta das 17:40 na cidade de Epitaciolândia. O homicida seria ouvido pelo escrivão de plantão e ainda seria transferido para o presídio estadual na Capital, até o pronunciamento da Justiça sobre seu caso.

Vanilson poderá ser condenado a cerca de 15 anos de reclusão pelo crime banal duplamente qualificado, além de ser reincidente.

Relembre o caso:

Homem é assassinado a pauladas na zona rural de Epitaciolândia

Venilson irá esperar pronunciamento da Justiça no presídio - Foto: Alexandre Lima
Venilson irá esperar pronunciamento da Justiça no presídio – Foto: Alexandre Lima

Comentários