Jamyl Asfury propõe urgência de comissões da Aleac para caso dos haitianos

jamyl110413Em pronunciamento nesta quinta-feira, 11, o deputado Jamyl Asfury (PEN), 2º vice-presidente, sugeriu que as comissões permanentes de Direitos Humanos, de Segurança Pública e de Saúde se apressem na elaboração de relatórios sobre a questão dos haitianos em Brasileia. Segundo ele, a pressa é necessária para aliviar a estrutura dos serviços públicos das cidades da fronteira, que estão congestionados para o atendimento dos imigrantes e privando as populações locais. “Ontem pudemos ver imagens marcantes, são pessoas vivendo em condições subumanas, mas pelas quais não temos responsabilidade e nem condições para sua manutenção. E estas pessoas, mesmo sem querer, estão tirando a pouca estrutura que Brasileia e Epitaciolândia  têm para atender suas populações”, relatou Asfury.

O deputado parabenizou o delegado da Polícia Federal local que conseguiu a vinda de uma equipe de Brasília para reforçar o atendimento aos imigrantes. “Vários outros serviços da Polícia Federal acabaram sendo represados por conta do atendimento aos estrangeiros. Os correios estão lotados e outros serviços básicos acabam faltando para a comunidade local”, argumentou Asfury.

O parlamentar também cumprimentou os prefeitos de Brasileia e Epitaciolândia que, apesar da pouca estrutura disponível, têm dado conta de manter a ordem e o atendimento em serviços básicos, como na área de saúde.  “Na medida do possível todos estão sendo atendidos, mas é preciso ter um freio, pois ao resolverem suas situações eles comunicam a outros em seus países e a corrida não para nunca”, disse.

Para Asfury, o freio na corrente imigratória poderia ser instalado no país de origem, onde a Embaixada do Brasil em Porto Príncipe poderia fazer a triagem, emitir documentos e liberar a entrada dos imigrantes diretamente para a empresa que queira contratá-los.

“O que não dá é ficar seis meses retido em Brasileia à espera da regularização e usando a pequena estrutura disponível para as comunidades locais. Hoje somos testemunhas oculares das condições de vida dos imigrantes e dos transtornos à população”, afirmou o deputado, pedindo urgência nas reuniões das comissões para a apresentação de propostas para a solução do problema.

João Maurício
Foto: J. Simão
Agência Aleac

Comentários