João Correia faz greve de fome pelo retorno do horário do AC

joao_correia_no_planaltoO ex-deputado João Correia iniciou  ao meio-dia desta terça-feira, 7, uma greve de  visando, segundo ele, o reestabelecimento da hora antiga do Acre (2 horas a menos que Brasília).  João Correia, conforme relata em seu perfil no Facebook o jornalista Assem Neto, está a 60 metros da rampa do Palácio do Planalto – distância permitida pela segurança presidencial – e também está proibido de montar barraca. “Em verdade, o nome é inadequado; ele é melhor traduzido por jejum ou greve dos alimentos. É o que estou fazendo aqui em Brasília, na Praça do Três Poderes, defronte o Palácio do Planalto”, afirma Correia, que é professor universitário.

Ainda de acordo com Neto, o ex-deputado espalhou cartazes que chamam a atenção dos transeuntes pela crítica ao que chama de “forças maléficas e clandestinas que traíram a confiança do povo acreano”.  “O ex-deputado tem a companhia de um sobrinho e utiliza um banheiro público razoavelmente longe. O ex-parlamentar diz não estar ali como político, tampouco movido por corporativismos, e sim como cidadão, mas também levanta suspeitas de que o veto seja uma represália de Dilma à pífia votação obtida por ela nas última eleições no Acre”, completa o jornalista, lembrando que Correia já fez greve de fome, em Rio Branco, por 75 dias, após a Justiça Eleitoral rejeitar o seu pedido de uma perícia na fita de gravação do programa da TV – 5, retransmissora da Rede Bandeirantes no Acre, que registrou a briga entre o entrevistado e o jornalista Demóstenes Nascimento.

A radicalização de Correia em favor da hora antiga do Acre é polêmica nas redes sociais: O internauta Daniel Maciel Nascimento chegou a escrever: “Não estou feliz não, mas não posso apoiar uma pouca vergonha dessa… Ele tem que buscar lutar em cima das reais necessidades do povo, e mudar horário do nosso estado não vai matar a fome de ninguém, não vai trazer segurança pra ninguém, não vai dar um teto pra ninguém morar, não vai levar melhor atendimento médico pra ninguém… Arruma alguma coisa pra esse cara fazer”. De outro lado, Eliedio Nascimento reconhece  a mobilização: “Se algo de grave vier acontecer ao Joãozinho, a responsabilidade é dos deputados e senador  de oposição que não servem para lutar pelo Acre, nem em Brasília como em nenhuma parte deste planeta”.  Thalys Lopes vai mais adiante: “Esse Homem é forte, deveria ter nos representado como senador”.

Mas, apesar do pouco tempo, a campanha de João Correia não tem sido fácil. No meio da tarde ele reclamou do sol forte  temendo insolação, fato que ele chiou ao seu modo:  “Sol da pátria. O sol de Brasília parece ser de assassinar; ele não tem aquela umidade santa do calor amazônico. Tive que dar-lhe as costas, para evitar insolação precoce e, ao virar-me, deitei os olhos numa torre com imensa bandeira do Brasil em coreografia ímpar”.

Comentários