Jovens promovem arruaça na madrugada, brigam e tentam invadir hospital em Brasiléia

Alexandre Lima

Pedaço de madeira que o grupo tentou usar contra que estavam no pronto-socorro - Fotos:
Pedaço de madeira que o grupo tentou usar contra que estavam no pronto-socorro – Fotos: Alexandre Lima

Uma briga na madruga envolvendo cerca de seis jovens, resultou em dois feridos no hospital de Brasiléia e três detidos na delegacia durante a madruga desta segunda-feira, dia 20, onde foi preciso a intervenção de policiais militares lotados no 10º Comando.

Segundo foi apurado, Marcos Macedo Braz (27) e Alex Mesquita (26), voltavam de um forró localizado na cidade vizinha de Epitaciolândia, quando se depararam com quatro jovens, sendo que um deles não foi identificado e fugiu após a briga que aconteceu após trocas de ofensas.

O segundo grupo, dois irmãos com quase 18 anos, estariam na companhia de Daniel Carnaúba Gadelha (20), que se envolveram numa briga corporal deixando feridos em ambos os lados. A confusão aconteceu na Rua Olegário França, próximo ao hospital de Brasiléia.

Após a briga, Marcos e Alex deram entrada no hospital com ferimentos resultantes do confronto. Enquanto isso, o outro grupo achou que deveriam promover arruaça pelas ruas jogando lixo e destruindo lixeiros pela rua, além de mesas de alguns pequenos comércios.

Achando que deveriam fazer mais, resolveram ir até o hospital armados de tijolos e pedaços de madeira para terminar a briga, onde levaram pânico aos enfermeiros e médicos de plantão ao tentarem invadir o pronto socorro.

O caso só não terminou pior, devido a intervenção do segurança que impediu a entrada, onde gerou mais ameaças e vandalismo na unidade hospitalar. Foi quando acionaram o CIOSP através do 190 para pedir ajuda e enviaram uma viatura com policiais militares.

Os policiais encontraram três dos quatro que tentaram invadir o hospital a poucos metros distante e os detiveram. Ambos foram reconhecidos e levados à delegacia onde ficariam a disposição do delegado para providencias.

Dois irmãos não satisfeitos com a detenção, ainda tentaram intimidar os policiais alegando serem menores e conhecerem seus direitos. O trio está a disposição do judiciário.

Comentários