Júri popular: “Crime do lixão” será julgado no dia 17 de abril

O crime que chocou a população de Brasiléia e Epitaciolândia no ano de 2011

Alexandre Lima

Arma do crime foi encontrada no Rio Acre pelos policiais civis - Foto: Arquivo
Arma do crime foi encontrada no Rio Acre pelos policiais civis – Foto: Arquivo

O crime que assustou a população de Brasiléia e Epitaciolândia em meados de 2011, está prestes a chegar ao fim. O julgamento dos acusados foi marcado para o dia 17 de Abril próximo e deverá durar cerca de três dias, além de ser muito aguardado.

Cristhiane foi morta a tiros e teve seu corpo queimado no lixão de Brasiléia - Foto: arquivo
Cristhiane foi morta a tiros e teve seu corpo queimado no lixão de Brasiléia – Foto: arquivo

A Comarca de Brasiléia, comandada pelo Senhor Juiz, Doutor Hugo Barbosa Torquato, juntamente com o júri popular, estarão ouvindo cerca de 15 testemunhas de acusação e defesa. O caso, que é classificado como homicídio qualificado, terá como réus, Luis Carlos Ferreira (ex-namorado) e Jonathan Wendell R. Rodrigues, o ‘Ferrugem’, como cúmplice no assassinato.

Na época, após dias de procura e investigação, os restos da vítima foi encontrado no lixão. Os dois foram acusados de terem assassinado a jovem Cristhiane Maria Prudente com vários tiros e depois queimar o corpo utilizando gasolina.

Luiz Carlos que estava foragido, foi preso em Cruzeiro do Sul. Os acusados foram detidos e detalhes foram a tona sobre o crime, fatos esses que chocaram os moradores na fronteira pelos requintes de crueldade.

Cristhiane tinha 20 na época e deixou uma criança de 4 anos. Promotoria poderá pedir pena máxima aos réus.

Jonathen Wendell 'Ferrugem' (cumplice)
Jonathan Wendell ‘Ferrugem’

Luis Carlos foi preso dias depois - Foto: Arquivo
Luis Carlos foi preso dias depois

 

Comentários