Lixões ainda são problema para municípios do interior do Acre

Prefeituras têm até 2014 para construir aterros sanitários.
Apenas dois municípios no estado, fazem destinação correta do lixo.

Francisco Rocha, do G1 AC

A população dos cinco municípios do Vale do Juruá (Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo) no interior do Acre, ainda sofrem com a poluição dos aquíferos, do solo e a proliferação de insetos. A falta de controle e fiscalização por parte das prefeituras, permite que estas áreas sejam invadidas por pessoas que buscam restos de alimentos.

Lixões trazem prejuízos à população (Foto: Francisco Rocha/G1)
Lixões trazem prejuízos à população (Foto: Francisco Rocha/G1)

Dos 22 municípios do Acre apenas dois fazem a destinação correta do lixo, Rio Branco e Senador Guiomar. Em muitos municípios os lixões estão situados a menos de um quilômetro do centro da cidade, como é o caso de Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Porto Walter. No mesmo local onde é depositado o lixo doméstico é despejado o lixo hospitalar e restos de animais, abatidos em matadouros.

De acordo com o Ministério Público Estadual, os gestores dos municípios do Vale do Juruá têm sido orientados a resolver os problemas dos lixões, que tem causado sérios danos à população e ao meio ambiente. A grande maioria das prefeituras construíram os lixões próximos de igarapés e até da pista de aeroporto, como é caso do município de Porto Walter.

Segundo o Ministério Público, as prefeituras têm até 2014 para extinguir os lixões e construir aterros sanitários. A determinação é da nova Lei 12.305/10, que Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Algumas prefeituras já sinalizaram que estão trabalhando para resolver o problema. Em Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Cruzeiro do Sul, técnicos já trabalham na elaboração dos projetos para implantação dos aterros sanitários, a partir do próximo ano.

A secretária de Meio Ambiente da prefeitura de Cruzeiro do Sul, Francisca Nascimento, disse que o município já adquiriu a nova área que fica a 20 quilômetros do centro da cidade para construir o aterro sanitário. Segundo ela, o projeto para a implantação do aterro sanitário fica pronto ainda este ano.

Comentários