Lote de 3 linhas de transmissão do Acre fica sem proposta em leilão da Aneel

A Usina de Belo Monte está sendo instalada para resolver as principais problemáticas do setor energético do país. Para tanto, a distribuição da energia elétrica desta usina paraense depende de um bom serviço de distribuição para os estados interligados.  E nesse ponto o Acre já começa 1 passo atrás. Em leilão realizado na manhã de ontem, dia 19, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Lote H, que era composto por três linhas de transmissão para o Acre, foi o último apresentado para o arremate e o único que ficou sem oferta.

Antes do começo dos lances do leilão (que foi o 4º realizado este ano pela Aneel para ofertar os serviços de administração e manutenção das linhas de transmissão da Usina de Belo Monte), a Aneel informou que 3 grupos espanhois expressaram a intenção de disputar o Lote H: a Cobra Instalaciones y Servicios; a Abengoa; e o consórcio Cruzeiro do Sul (que rege a Alupar e a Eletronorte). No entanto, ao fim das ‘batidas do martelo’, nenhuma das 2 empresas sequer lançou propostas para se habilitarem a adquirir o pacote das linhas de transmissão para o Estado.

No caso da Abengoa, o desinteresse pelas linhas acreanas se deu pelo fato de que tal empresa, juntamente com o consórcio liderado pela chinesa State Grid, foi a que arrematou os principais lotes ofertados.  A espanhola, inclusive, foi uma das que deu lances mais ‘agressivos’ para levar alguns dos lotes grandiosos. Já as outras 2 também faturaram lotes importante, mas de menos valore e responsabilidade do que a Abengoa, o que não justifica o súbito desinteresse pelo Lote H.
Com mais detalhes, o lote com as 3 linhas de transmissão instaladas no Acre tinha uma Receita Anual Permitida (RAP) fixada pela agência reguladora no valor de R$ 25,96 milhões. A Aneel tinha expectativas otimistas para a venda deste lote. Todavia, elas não ‘vingaram’.

Uma vez que este lote não recebeu proposta no leilão, ele fica sem licitação. Agora, a agência reguladora deve buscar uma forma mais atrativa para reformular a sua atratividade para licitação e lançá-la em uma próxima edição de seus leilões de linhas de transmissão, no ano que vem.

TIAGO MARTINELLO

Comentários