Manobras podem garantir continuidade de pensão de ex-governadores no Acre

O recesso parlamentar estadual chega ao fim essa semana e com ele retorna a discussão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretende por fim a aposentaria de ex-governadores acrianos. Já há consenso em todo o País da irregularidade desses pagamentos, contudo, a lentidão da Justiça em decidir o assunto prolonga o recorrente prejuízo aos cofres públicos.

Na manhã dessa segunda-feira (05), o deputado estadual Major Rocha (PSDB) alerta que a base de apoio ao governador Sebastião Viana estaria articulada para impedir a aprovação da PEC que poria fim ao benefício a Viana.

Entre as manobras estaria o recuo de deputados governistas que assinaram a proposta e inúmeras ações da mesa diretora da Assembleia Legislativa para retardar a votação.

A PEC que pede o fim da imoralidade com dinheiro público do Acre só está em pauta graças ao movimento Dia do Basta, composto por jovens que pressionam os parlamentares a votarem a medida.

Leia do alerta:

Ontem, conversando com um deputado da FPA, fui alertado que a PEC que acaba com a pensão de ex-governador corre um sério risco de ir para o buraco. Segundo o parlamentar governista, várias manobras vão ser postas em prática para que a referida PEC não seja aprovada.

Ele próprio recebeu um apelo do governador para retirada de seu nome, assim como outros deputados de partidos aliados.

Outra estratégia seria adotada pela mesa diretora que retardaria ao máximo a tramitação da matéria fazendo com que ela não seja apreciada pelo plenário.

Na tribuna, os parlamentares que “mudarem” de idéia vão usar o argumento enganoso de que o governador já teria direito e por isso não teria interesse na aludida PEC.

Ocorre que se a Emenda Constitucional for aprovada até o final dessa legislatura Sebastião Viana não teria direito a tão sonhada aposentadoria.

Edmilson Alves, de Rio Branco (AC)

Comentários