Médica fala sobre parto que criança teve deslocamento da bacia

Por Almir Andrade

O parto ocorrido e que vem gerando grande polêmica nos últimos dias na região de fronteira, que ocorreu no dia 16 de dezembro passado, no Hospital de Clinicas Raimundo Chaar em Brasiléia – (HCRC), onde o recém nascido sofreu um deslocamento na bacia, sendo necessário o engessamento imediato da cintura para baixo, desde então vem gerando transtornos para os pais da criança,

O casal que mora no km 79, da BR 317 (Estrada do Pacífico), desde o nascimento do filho buscam ajuda para o tratamento do filho que só pode ser realizado em Rio Branco, já que os mesmos não têm condições de se manter na capital.

A médica deu sua versão dos fatos sobre o ocorrido.

E devido a grande repercussão negativa do caso, procuramos a direção do hospital de Brasiléia para que se explicassem e dessem sua versão sobre o caso. Em entrevista exclusiva na manhã desta segunda-feira, dia 08, a médica que realizou o parto e preferiu não se identificar falou como tudo aconteceu.

Segundo a profissional, a mãe que deu entrada na unidade pela parte da tarde, mas que ainda não estava em trabalho de parto. Já a noite quando a médica assumiu o plantão e realizou uma nova avaliação na paciente, constatando que o bebê estaria ja em sofrimento no útero da mãe, onde a equipe entrou em emergência para realizar os procedimentos.

“Na hora da cirurgia, quando a gente tava realizando lá, o bebê estava de face. Ou seja, a carinha dele estava pra cima, certo? Então a gente tem que fazer uma rotação, pra virar. Na hora da rotação, como tinha muito liquido com mecônio. Na hora da rotação na hora ele virou, ele simplesmente rotou, deu uma rotação interna. No que ele virou, que eu tentei segurar e não deu tempo, em vez de vir a cabeça, veio a perna. Nesse caso ai eu segurei a perna, e não foi com agressividade! Tentei, segurei e imagino que foi ai onde foi a fratura.” Disse a profissional sobre o momento do ocorrido.

Sirlandia e Ednilson precisam de ajuda para o tratamento do filho que teve a bacia quebrada durante o parto.

Ainda sobre o caso, a médica declarou que no momento da cirurgia a mãe viu a reação de espanto e preocupação da equipe após o ocorrido. E que após o término da cirurgia, a mesma chamou o pai e uma acompanhante da família e explicou a situação.

“Quando nos terminamos a cirurgia, eu chamei o pai e agora não lembro se era a mãe ou a sogra dela (paciente). E expliquei a situação que tinha acontecido, que tinha sido um parto complicado, que possivelmente tinha tido uma fratura na perninha do bebê. Mais eu ia dar a posição só quando fizesse o Raio-X. E se possivelmente tivesse tido uma fratura, a gente ia encaminhar pra Rio Branco. Expliquei tudo, e em momento algum a gente escondeu nada do que aconteceu la dentro.” Finalizou a médica.

Quem quiser ajudar a familia pode entrar em contato com Cacilda Araújo dos Santos (Nina), que mora no Bairro Samaúma I, Rua da Olaria, número 341, poderá ser localizada na Malharia e Confecções Nira, na Avenida Prefeito Rolando Moreira, quase em frente aos Correios de Brasiléia, caso alguém quero ajudar. Contatos celular; (68) 99939-1032.

Comentários