Médicos afirmam que importação de cubanos é medida eleitoreira

Às 16 horas de hoje, os médicos e estudantes realização uma passeata contra a importação de cubanos.

Freud Antunes

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (3), o presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), José Ribamar Costa, afirmou que a contratação de médicos não resolverá o problema da saúde pública. O problema estaria na falta de gestão, na falta de medicamentos e equipamentos essenciais para o atendimento da população.

De acordo com o sindicalista, a paralisação que está sendo realizada hoje tem o objetivo de alertar para as declarações consideradas eleitoreiras por parte da presidente Dilma Rousseff. A importação de médicos resultará em uma série de irregularidades,como a não realização de concurso público e a falta da aplicação do exame Revalida, que avalia os conhecimentos do profissional formado no exterior.

Presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), José Ribamar Costa, afirmou que a contratação de médicos não resolverá o problema da saúde pública/Foto: Agência ContilNet
Presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), José Ribamar Costa, afirmou que a contratação de médicos não resolverá o problema da saúde pública/Foto: Agência ContilNet

“Não somos contra os médicos estrangeiros. Fizemos uma festa no ano passado em que os médicos estrangeiros foram homenageados, mas todos devem passar pelo exame que atesta que eles estão aptos a trabalhar no Brasil”, falou Ribamar Costa.

O presidente do Sindmed lembrou que nas visitas realizadas a hospitais de Rio Branco e no interior foram verificados diversos problemas que prejudicam o atendimento.

“O hospital de Brasileia foi um dos locais visitados por nós, verificando diversos problemas que poderiam causar a interdição do local, mas é a única unidade da região.Depois de nossa visita, o governo anunciou a construção de um hospital, então não é a contratação de médicos que resolverá o problema”, justificou o sindicalista.

A presidente da Associação das Especialidades Médicas, Jenne Grece, explicou que a falta de medicamentos, como a dipirona, é constante em um dos maiores instituições de saúde do Acre, o Hospital das Clínicas.

“Eles chegaram a desmarcar cirurgias marcadas para esta quinta-feira por falta de medicamentos, o que não poderia ocorrer, então não é a falta de médicos”, confirmou a presidente da associação.

Às 16 horas de hoje, os médicos e estudantes realização uma passeata contra a importação de cubanos.

 

Comentários