Médicos protestam contra reforma na categoria em 22 Estados

Fenam diz que atendimento público estará suspenso. Há manifestações previstas também para esta quarta (31)

Médicos de ao menos 22 Estados participam de uma mobilização da categoria contra o programa Mais Médicos nesta terça (30) e quarta-feira (31). De acordo com a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), haverá suspensão do atendimento ao público em alguns Estados nestes dois dias, mas os serviços de urgência e emergência serão mantidos.

Paralisação de médicos na manhã desta terça-feira (30), no centro de Curitiba (PR) -  Futura Press
Paralisação de médicos na manhã desta terça-feira (30), no centro de Curitiba (PR) – Futura Press

Os profissionais protestam principalmente contra dois pontos do programa: o acréscimo de dois anos de serviço no Sistema Único de Saúde (SUS) aos estudantes de medicina e o incentivo para atuação de médicos estrangeiros no País, sem a revalidação dos diplomas.

Além do Mais Médicos, a categoria também é contra os vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei do Ato Médico. A Fenam argumenta que a classe médica não foi ouvida nas negociações com o governo, o que exigiu ações “mais fortes” por parte dos profissionais.

Em São Paulo, médicos, residentes e estudantes programaram uma passeata para esta quarta-feira, às 16h. A concentração da manifestação será em frente à sede da Associação Paulista de Medicina, na avenida Brigadeiro Luis Antônio. Eles irão seguir pela avenida Paulista e pela rua da Consolação até a sede do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

Ainda segundo a Fenam, a mobilização desta semana é um preparativo para a grande marcha à Brasília, no dia 8 de agosto, quando está prevista uma audiência pública sobre o Mais Médicos no Congresso Nacional.

Comentários