Ministro das Relações Exteriores recebe Tião Viana para discutir situação de haitianos

O governador Tião Viana se reúne nesta quarta-feira, 17, com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para discutir sobre a questão da imigração de estrangeiros usando como porta de entrada os municípios acreanos.  O encontro está previsto para ocorrer de manhã, no Itamaraty. Segundo a Agência Brasil, o ministro anunciou esforço conjunto, envolvendo vários ministérios, na tentativa de reduzir os problemas causados pelo intenso fluxo de imigração que se estabeleceu há mais de um ano cuja rota de entrada ao Brasil inclui o estado do Acre.

Um relatório sobre este fluxo imigratório está sendo elaborado e deverá ser entregue em outubro. Representantes de várias instituições de direitos humanos e ajuda humanitária do Brasil, Peru, Equador e Bolívia estão realizando um monitoramento do aumento da entrada de estrangeiros no país.

O diretor do Departamento de Imigração do Itamaraty, diplomata Rodrigo Amaral, está no Acre onde irá conversar com os haitianos. Uma preocupação das autoridades desses países é quanto á segurança dos imigrantes que, para sair de seus países de origem, se submetem a ameaças, extorsões e assédios de coiotes. Muitos haitianos conseguem visto e carteira de trabalho e conseguem emprego nos estados de Rondônia, Mato Grosso e São Paulo.

Emergência social – O governador Tião Viana decretou, no dia 9 de abril, situação de emergência social devido ao volume de estrangeiros que entraram no país pelos municípios de Brasileia e Epitaciolândia exigindo do governo a criação urgente de infraestrutura humanitária para receber estas pessoas.

Desde 2010, entraram no Brasil pelo Acre em torno de 4,3 mil pessoas, sendo que aproximadamente 1,5 mil somente nas últimas semanas. Do total de R$ 3 milhões investidos pelo governo do estado, apenas R$ 650 mil foram enviados pelo governo federal. Na ocasião, o governador Tião Viana, afirmou que o Ministério das Relações Exteriores era  insensível à questão, apesar do apoio dado pela presidente Dilma.

 

(Da redação/Com informações da Agência Brasil e Agência de Notícias do Acre)

 

Comentários