Ministro Luiz Fux concede liberdade para os 14 presos na Operação G-7

FuxO ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, determinou, no começo da noite desta segunda, que os 14 presos pela Operação G-7 sejam liberados do regime de reclusão. O ministro é o relator do processo na instância maior em Brasília. Fux considerou desnecessária a prisão dos acusados pela operação da Polícia Federal. No caso, eles estavam retidos há 37 dias, desde 10 de maio.

Ao todo, a operação reteve 15 pessoas, mas só 14 ainda estavam presos. Agora, graças a esta nova deliberação, eles também estão livres.

Mas há um ‘porém’. Em sua decisão, o ministro do STF ordenou que os presos liberados cumpram outros tipos de medidas restritivas para não atrapalhar no andamento do processo. Por exemplo, eles devem sempre comparecer em juízo quando solicitados, não podem exercer nenhuma função pública, não podem comparecer aos órgãos em que atuavam, não devem se ausentar do Estado.

Desembargadores vão se reunir com Fux
Os desembargadores Roberto Barros, presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Samuel Evangelista, Adair Longuini e Eva Evangelista, se reunirão com o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), em seu gabinete em Brasília, às 18h30, nesta terça-feira, 18. A agenda dos desembargadores não foi divulgada pela Assessoria de Comunicação do TJ acreano.

Uma das hipóteses da visita dos desembargadores ao ministro diz respeito à ‘conturbada’ sessão plenária do TJ que julgou a corte acreana impedida de julgar qualquer ato referente à Operação G-7.

A Gazeta

Comentários