Motorista foge sem prestar socorro após atropelar e matar colono em ramal

Morte de Francisco pode ocorrido já nas primeiras horas deste domingo, após agonizar por toda a madrugada.
Morte de Francisco pode ter ocorrido já nas primeiras horas deste domingo, após agonizar por toda a madrugada.

Alexandre Lima, com Almir Andrade

Policiais militares e perito criminal lotados na fronteira do Acre, foram acionados através do Ciosp (190) na manhã deste domingo, dia 20, para verificarem um suposto assassinato ocorrido na zona rural, precisamente no Ramal Porto Rico, km 32 da BR 317, sentido Epitaciolândia/Rio Branco.

Após se deslocaram cerca de quase 70 quilômetros entre BR e ramal, chegaram no local onde estava um corpo caído ao lado numa vala de um homem já sem vida. Foi identificado como sendo Francisco Alves Bezerra (38).

Segundo foi apurado no local, que a causa da morte foi um atropelamento ocorrido durante a madrugada. A vítima teria passado algumas horas bebendo num boteco existe nas proximidades e quando voltava para casa, foi acolhido pelo veículo.

O mesmo pode ter sido arrastado por cerca de 3 a 4 metros pelo ramal, pois havia marcas de arrasto em suas costas. Foi dito ainda que o mesmo foi visto por moradores caído, acharam que estaria apenas dormindo e horas depois, após ser localizado por outros, teria pedido água já pela manhã e após beber, morreu.

As autoridades já estão trabalhando para localizar o veículo e identificar o motorista que atropelou, arrastou e fugiu sem prestar socorro, deixando Francisco agonizando para morrer no ramal.

Pelo o que se pode chamar de crime, o autor poderá responder por crime doloso – quando há intenção de matar e omissão de socorro. Algumas pistas foram colhidas no local e as autoridades acreditam que será questão de horas para chegar ao motorista.

Francisco morreu antes mesmo de receber os primeiros socorros, mas agonizou por horas após ser atropelado na madrugada.
Francisco morreu antes mesmo de receber os primeiros socorros, mas agonizou por horas após ser atropelado na madrugada.

Comentários