Mulher é quase degolada por linha de pipa com cerol

Tião Vitor // Fotos: Igor Martins

Marca da linha ficou registrada no pescoço de Cibele
Marca da linha ficou registrada no pescoço de Cibele

A educadora de trânsito Cibele Melo por pouco não se tornou mais uma vítima da linha de pipa com cerol. Ela quase foi degolada na tarde desta quinta-feira 18, quando transitava na avenida Nações Unidas, próximo à antiga sede da Funbesa, na Estação experimental.

Cibele dirigia sua moto na via, por volta das 17h30, quando uma linha com cerol enroscou em seu pescoço. Por sorte, ela estava em baixa velocidade e pode segurar a linha com uma das mãos antes que ela lhe cortasse.

Cibele pensou que a morte era certa e lembrou que deixaria um filho órfão

“Eu tinha acabado de sair do trabalho e ia para casa. Seguia em baixa velocidade. Creio que ia a menos de 40 quilômetros por hora. Talvez tenha sido isso que me salvou”, relatou Cibele.

Cibele tem um filho pequeno e afirma que lembrou que poderia ter morrido e deixaria a criança órfã. “Só pensei em como ficaria meu filho se eu tivesse morrido”, relata emocionada a mulher.

Felizmente, Cibele, não sofreu nenhum ferimento, mas uma fina marca vermelha ficou registrada em seu pescoço para lembra-la ainda por vários dias o quão perto da morte ela esteve.

Linhas de pipa com cerol são extremamente perigosas, principalmente para ciclistas e motociclistas. Elas são produzidas com vidro pisado que são misturados com cola e fixados nas linhas tornando-as um instrumento de corte muito afiado.

No último dia 9 de junho, uma mulher morreu ao ter a carótida cortada por uma linha com cerol. O caso aconteceu na cidade de Itapetinga, no interior de São Paulo. Ela chegou a ser socorrida e passar por cirurgia, mas não resistiu ao ferimento, principalmente, porque a perda de sangue foi muito grande. Caso similar aconteceu na cidade de Taguatinga, no Distrito Federal no início do ano.

Outro caso recente e que chamou a atenção foi da jovem goianiense Gleice Evelin de Melo Galvão, de 20 anos. Ela foi morta no último dia 15, em Goiania/GO quando saiu da casa do avô, em companhia do marido. Ela ia na garupa da moto que era pilotada pelo marido. Os dois haviam casado há cerca de três meses. Quando passavam por uma rua próxima, ela foi atingida pela linha de pipa com cerol. Ela também chegou a ser socorrida, mas morreu em virtude da gravidade dos ferimentos.

Detran busca orientar para os riscos de soltar pipa com linha com cerol

Geni lembrou da necessidade do uso de equipamentos de segurança
Geni lembrou da necessidade do uso de equipamentos de segurança

Cibele trabalha com Geni Polanco, que é coordenadora de Educação no Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Ela conta que sua instituição tem procurado sempre orientar os condutores, principalmente os motociclistas, sobre a necessidade do uso de equipamentos básicos de segurança, como capacetes e outros mais. Entre esses equipamentos se torna cada vez mais necessário o uso da antena corta-pipa, que ajuda a proteger o motociclista ou ciclista da linha de cerol.

“Essa anteninha está a venda em casas especializadas de peças e assessórios para motos e tem baixo custo”, invorma Geni.

Ela lembrou, ainda que, que a Eletrobras também tem desenvolvido um trabalho de orientação dos jovens quanto aos riscos do uso da linha com cerol.

“No ano passado, os técnicos da Eletrobras estiveram em todas as escolas do ensino fundamental orientando os alunos e os pais sobre os cuidados que se deve ter quando eles adquirem uma pipa para os seus filhos”.

De acordo com Geni, a Eletrobras têm, a cada ano, grandes prejuízos com os danos causados com pipas ou linhas com cerol, que se enroscam nos fios de transmissão, transformadores e subestações. Daí a necessidade de buscar orientar jovens e famílias sobre os riscos das pipas.

 

Comentários