Na Aleac, prefeito de Epitaciolância pede providências contra violência na fronteira

Condições em que se encontram os detentos brasileiros no presídio de Vilha Bush, é considerado desumano - Foto: Alexandre Lima
Condições em que se encontram os detentos brasileiros no presídio de Vilha Bush, é considerado desumano – Foto: Alexandre Lima

Nesta quinta-feira, 21, foram divulgadas novas imagens do presídio de Vila Bush, no departamento de Pando, na Bolívia, onde estão presos os brasileiros vítimas de um massacre praticado por presos bolivianos, que deixou um morto o vários feridos.

As imagens foram registradas durante uma visita do prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, ao presídio. O prefeito, que também é advogado, acompanha de perto a situação de conflito entre brasileiros e bolivianos.

Nesta quinta-feira ele fez uma visita aos deputados na Assembleia Legislativa para apresentar as imagens e trazer novas informações sobre a situação na fronteira.

“É fronteira com meu município, os presos de lá, a maioria é de famílias de Epitaciolândia, mas acima de tudo são brasileiros, é questão de solidariedade então estamos nos mobilizando e reforçando esse pedido e ajuda a todos os poderes”, declarou o prefeito.

Tanto os detentos quanto os policiais do presídio estão sem ambulatório me'dico e dentário. Ambos foram destruídos depois de várias rebeliões - Fotos: Alexandre Lima
Tanto os detentos quanto os policiais do presídio estão sem ambulatório me’dico e dentário. Ambos foram destruídos depois de várias rebeliões – Fotos: Alexandre Lima

Ao longo dos últimos dias, várias autoridades do Estado se pronunciaram sobre os conflitos entre brasileiros e bolivianos, que ocorrem de forma frequente na região de fronteira. A Assembleia Legislativa está entre as instituições que se mobilizaram em busca de uma solução para o problema.

Na semana passada, um grupo de deputados fez uma visita à região de fronteira. Esta semana os parlamentares foram a Brasília e encaminharam um relatório oficial sobre a situação aos órgãos federais de defesa dos direitos humanos.

“Existe uma mobilização muito grande da Assembleia, da bancada federal, dos prefeitos e vereadores dos municípios da fronteira, ou seja, a situação não vai permanecer como estava”, afirma o deputado Astério Moreira (PEN), líder do governo na ALEAC.

Como resultado dessa mobilização da classe política do Acre, nos próximos dias, será marcada uma visita do ministro das Relações Exteriores ao Acre. Ele virá participar de uma audiência pública, para a qual também serão convidadas as autoridades bolivianas.

Também foi sugerida por parlamentares do Acre a criação de um consulado itinerante para atender os brasileiros que vivem na Bolívia, e a assinatura de novos acordos internacionais  que garantam a boa convivência dos países na região de fronteira.

Por Rogério Wenceslau

Comentários