Partido do vice-governador sai da Frente Popular e vai para oposição

Da redação, com Fábio Pontes

A sigla do vice-governador César Messias, o Partido Socialista Brasileiro (PSB), deixará nos próximos dias a Frente Popular do Acre para integrar o bloco oposicionista. O senador Sérgio Petecão (PSD) foi o principal articulador da retirada da base do governo por meio de articulações junto à executiva nacional em Brasília. De acordo com ele, já está 100% definida a saída do PSB do bloco aliado.

Além de ter o vice-governador, o PSB ocupa importantes cargos dentro do governo e da prefeitura. O atual presidente da Câmara de Rio Branco, Roger Corrêa, é dos quadros socialistas. A saída do partido representa um duro golpe para a Frente Popular por ser um dos principais aliados, e dono de importantes minutos na propaganda eleitoral.

A candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à presidência da República em 2014 foi o principal motivo para o rompimento do casamento do PSB com o PT acreano. Os dirigentes nacionais foram convencidos de que Campos ficaria sem palanque no Acre caso a legenda continuasse ao lado dos petistas.

Como troca, foi oferecida a possibilidade do pernambucano contar com campanha no Acre, além de nomes competitivos para eleger deputados federais. No Acre o PSB será comandando pelo ex-petista Fernando Melo, que ficou em terceiro lugar na disputa pela prefeitura da capital em 2012; hoje no PMDB, Melo diz que é questão de tempo assumir a Executiva.

Ele diz acreditar que até o dia 15 tudo estará encaminhado. A reportagem tentou contato com os atuais dirigentes socialistas, mas as ligações não foram atendidas. A expectativa é quanto ao destino do vice-governador, cotado para concorrer à Câmara dos Deputados no próximo ano.

Comentários