Peru também suspende importação de carne bovina brasileira

O governo do Peru também suspendeu a importação de carne bovina brasileira, por temer contaminação do produto com o mal de vaca louca.

A embaixada do país confirmou a informação, nesta quinta-feira (3), e garantiu que a restrição se aplica ao comércio de animais vivos ou congelados de todo Brasil.

Em 7 de dezembro foi confirmada a ocorrência de um caso “não clássico” do mal de vaca louca (encefalopatia espongiforme bovina, conhecida também como EEB) no Paraná.

Ontem, a secretária de comércio exterior do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Tatiana Lacerda Prazeres, disse que o governo não descarta abrir contencioso na OMC (Organização Mundial do Comércio) para questionar as barreiras impostas à venda de carne bovina brasileira.

Segundo a secretária, as medidas são protecionistas.

“Se não há respaldo nas regras internacionais, que definem parâmetros sanitários para essa comercialização de carne bovina, essas barreiras são injustificáveis e incompatíveis com as normas da OMC e o governo avalia que medidas irá tomar.”

RESTRIÇÕES

Nesta quinta-feira (3), o Ministério da Agricultura confirmou que adotam restrição contra a carne bovina brasileira o Japão, China, África do Sul, Arábia Saudita, Chile (apenas para farelos de osso e de carne), Jordânia (apenas carne do Paraná), Coreia do Sul e Taiwan.

Além destes países, o Líbano e o Peru também impuseram restrições. O governo brasileiro, no entanto, diz não ter recebido tais informações oficialmente.

No caso do Líbano, a restrição será apenas para produtos vindos do Paraná.

A restrição peruana será aplicada, inicialmente, por 90 dias, até que se prove que não há risco para este consumo.

JULIA BORBA – Folha de São Paulo
DE BRASÍLIA

Comentários