Pesquisador da Ufac prevê estabilidade no nível do rio Acre para os próximos dias

Previsões sobre o nível dos rios acreanos para o período das chuvas passam sempre pela possibilidade de alagamentos e transtornos para a população ribeirinha. As especulações para este ano sugeriram até que as águas do rio Acre alcançariam o Palácio Rio Branco, no centro da capital. Mas os dados do monitoramento realizado pela Universidade Federal do Acre (Ufac) e pela Agência Nacional de Águas (ANA), apresentados nesta semana são tranquilizadores.

Nível-do-Rio_1970-a-2013

lejandro Fonseca Duarte, coordenador do Grupo de Estudos e Serviços Ambientais da Ufac, divulgou através do site da instituição, os gráficos e outros dados apontando picos de cheia e de seca do rio Acre. Segundo essas informações, no período de outubro de 2012 até março de 2013, o nível do rio só vem aumentando. Em outubro a marcação foi de 2 metros, na última medição realizada às 18h desta terça feira, 26, o nível estava em 15 metros e 10 centímetros.

Outros números comentados são referentes ao período da estiagem, quando não há chuvas e a população sofre com problemas de distribuição de água. Desde 1999 o menor nível do rio tem se apresentado abaixo de um metro e meio.

Nível-do-Rio-Acre_-out-de-2012-a-mar-de-20131

Quanto ao aumento crescente, o coordenador afirma que há possibilidade de estabilização e até início de diminuição do nível do rio, considerando o comportamento do tempo nos últimos dias e o volume menor de chuvas. Sendo uma ação natural para essa época na região, as áreas alagadas continuarão existir.

As informações indicam fevereiro como o mês de maior risco de alagação, mas não descartam que possam ocorrer em qualquer mês entre dezembro e abril, como se vê agora.

 

(Valéria Santana, com informações Ufac)

 

Comentários