PM decreta luto oficial de três dias por morte de sargento em quartel no Acre

Paulo Andrade foi morto por um subtenente na quinta-feira (24).
Decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (28).

Do G1 AC

Sargento foi morto enquanto trabalhava no Comando Geral da PM em Rio Branco (Foto: Arquivo pessoal)
Sargento foi morto enquanto trabalhava no Comando
Geral da PM em Rio Branco (Foto: Arquivo pessoal)

Três dias após a morte do sargento Paulo Andrade, de 44 anos, atingido por um tiro de pistola dentro do Comando Geral da PM-AC, o comandante da Polícia Militar, coronel Júlio César, decretou luto oficial de três dias no âmbito policial. A publicação está no Diário Oficial do Estado (DOU) desta segunda-feira (28).

O subtenente Adelmo Alves dos Santos, de 49 anos, matou o sargento na noite da última quinta-feira (24) e foi encaminhado para o quartel do Batalhão de Operações Especiais (Bope), onde permanece preso. O enterro de Andrade ocorreu no fim da tarde de sexta-feira (25).

Na publicação, o comandante relata como aconteceu o crime e justifica o decreto de três dias de luto na corporação.

“Considerando a morte prematura do 2º SGT PM Paulo Maia de Andrade, vítima de homicídio, ocorrido no dia 24 de novembro do corrente ano, nas dependências do 1º Batalhão de Polícia Militar, quando de serviço na função de auxiliar do coordenador de área. E tendo em vista os bons serviços prestados à corporação, e uma vida profissional exemplar”, justifica César.

Mesmo assinado na sexta-feira (25), o decreto passa a valer a parti desta segunda (28), quando foi publicado.

Entenda o caso
O segundo sargento Paulo Andrade, de 44 anos, foi morto, na noite desta quinta-feira (24), pelo subtenente da Polícia Militar do Acre, José Adelmo Alves dos Santos, de 49 anos, dentro do Comando Geral da corporação, em Rio Branco.

A informação foi repassada pela assessoria de comunicação da PM-AC. A vítima teria sido atingida por um tiro de pistola ponto 40. O capitão Felipe Russo disse que o motivo da morte teria sido uma briga entre os colegas de profissão.

“Uma discussão banal e sem motivo. Surgiu do nada e acabou nisso aí”, confirmou. Após o crime, o subtenente foi levado para o quartel do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Segundo o subcomandante da Polícia Militar, coronel Ulysses Araújo, Santos foi detido em flagrante e nesta sexta foi encaminhado à audiência de custódia.

Comentários