“População não aguenta mais abuso da Eletroacre”, diz Chagas Romão

O desabafo de Chagas Romão foi endossado por outro deputado oposicionista, Wherles Rocha (PSDB).

Gina Menezes, da Agência ContilNet

Deputado Chagas Romão (PMDB)/Foto: Assessoria Aleac
Deputado Chagas Romão (PMDB)/Foto: Assessoria Aleac

O deputado Chagas Romão (PMDB) usou a tribuna na sessão de quarta-feira (3) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) para pedir que seja tomada providência com relação à suposta má qualidade na prestação de serviços da Eletrobrás, distribuição Acre, em Senador Guiomard.

O deputado peemedebista afirmou que o protesto realizado no município na tarde de terça-feira (2), é um sinal do cansaço da população local a respeito das constantes quedas de energia naquela cidade.

“São constantes apagões, a população fica sem saída. Isso é uma falta de respeito”, diz.

Romão participou do protesto em Senador Guiomar e pediu, desde a tribuna da Casa, que a Aleac realize uma audiência pública para debater a questão da energia elétrica naquela cidade.

“É preciso envolver todo mundo. É preciso chamar o Ministério Público, pois a população não agüenta mais tanto abuso por parte da Eletroacre”, diz.

O desabafo de Chagas Romão foi endossado por outro deputado oposicionista, Wherles Rocha (PSDB), que afirmou que não há mais uma representação da Eletroacre em Senador Guiomard.

“Não tem mais plantão em Senador Guiomard, quando tem um problema referente à luz, lá em senador Guiomard, é preciso que saia uma equipe de Rio Branco, pois lá não tem mais representação para isso”, diz.

Rocha também falou dos prejuízos causados pela companhia de eletricidade aos moradores daquele município.  “Os moradores de Senador Guiomard, às vezes, nem pão tem pela manhã, por conta da falta de energia inviabilizar os trabalhos das padarias”, diz.

Walter Prado (PEN) afirmou que é preciso um esforço conjunto de todos os deputados para resolver o problema, pois a má prestação de serviços de energia afeta o interesse de todos.

“Sem a melhoria da energia energética no Acre, não haverá no Estado o momento de desenvolvimento sonhado pela população acreana”, concluiu.

Comentários