Prefeitos de Brasiléia e Assis Brasil exige que incentivos nas Áreas de Livre Comércio sejam efetivados com diz a Lei

DSC_8431
Prefeitos com suas equipes e representantes da Suframa – Foto: Assessoria

Everaldo Gomes e Dr. Betinho pediram mais compromisso da Suframa com os municípios do Alto Acre

WILIANDRO DERZE

O prefeito de Brasiléia Everaldo Gomes, juntamente com o prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho participaram de reunião com representantes técnicos da Suframa. O objetivo era garantir uma agenda com o superintendente para que um posto do órgão federal seja instalado fazendo valer a Área de Livre Comércio na região dos municípios do Alto Acre.

O encontro que ocorreu em Rio Branco no gabinete da deputada Antônia Lúcia que viabilizou a reunião mesmo estando em Brasília foi longa e com explicações técnicas a respeito do levantamento que está sendo feito para possíveis investimentos na região.

A Coordenadora econômica e empresarial da Suframa, Ana Maria disse que as Áreas de Livre Comércio estão com legislação atrasada e que o comércio pelo comércio não gera desenvolvimento regional.

Os prefeito disseram que todo o estudo que vem sendo feito nos municípios pela Suframa, as prefeituras deveriam ser as primeiras, a saber. E questionaram os motivos que os representantes da Suframa compareceram ao município e não fizeram contato com as prefeituras e os respectivos prefeitos.

O prefeito Everaldo Gomes disse que se tiver boa vontade da Suframa de fazer valer a Área de Livre Comércio na Região haverá desenvolvimento, mas destacou que se haver burocracias e questionamentos sem ação do órgão nos municípios continuaram somente sonhando com a real efetivação da área.

Everaldo Gomes, Prefeito de Brasiléia - Foto: Assessoria
Everaldo Gomes, Prefeito de Brasiléia – Foto: Assessoria

“O município de Manaus era uma ilha que ninguém via viabilidade econômica a não ser pelo turismo, que ficava em condições desfavorável pela pouca estrutura que existia naquele tempo. A zona Franca no Amazonas em pontos estratégicos deu certo e levou várias indústrias, alavancando o comércio e garantindo o desenvolvimento da região. Queremos esses investimentos na mesma proporção. Afinal estamos uma área de fronteira com dois países importantes economicamente. Só precisamos de estudos e levantamentos em conjunto com a sociedade, comerciantes e investidores, além da classe política unidade pelo crescimento da região e não por interesses partidários”, destacou o prefeito de Brasiléia.

O doutor Betinho, prefeito de Assis Brasil disse que existiu um pouco de atropelamento por parte da Suframa quando não faz contato com as prefeituras, antes da realização dos estudos anunciados pelos técnicos.

“Poderíamos muito bem ajudar no apoio e ficar mais próximos para saber quais os possíveis investimentos que garantiria a viabilidade econômica da região e seu desenvolvimento”, disse Betinho.

Prefeito de Assis Brasil, Humberto Filho - Foto: Assessoria
Prefeito de Assis Brasil, Humberto Filho – Foto: Assessoria

A coordenadora da Suframa insistindo que a região deveria apostar em outros tipos de investimentos que não o comércio apresentou várias explicações e deixou claro que a região não atrairia um público alvo de turistas para possível área de compras.

O questionamento levantado pela coordenadora foi repartido pelos prefeitos que disseram por quais motivos o amazonas está pedindo mais prazo para a continuidade da Área de Livre Comércio.

No final da reunião os prefeitos Everaldo Gomes e doutor Betinho pediram os técnicos para que o superintendente da Suframa pudesse vir ao Acre para debater com os municípios e o Governo do Estado uma alternativa para que a Área de Livre Comércio seja respeitada e tenha seus incentivos garantidos, seja de produtos nacionais ou internacionais para o desenvolvimento esperado a anos pela famílias da região.

Foto: Assessoria
Foto: Assessoria

Comentários